Cine Livreando: Klaus - Netflix


Título Original: Klaus | Direção: Sergio Pablos | Ano Lançamento: 15 de Novembro de 2019 Duração: 01h37min | Elenco(Vozes): Rodrigo Santor, Daniel Boaventura e Fernanda Vasconcellos Gênero: Animação, Aventura e Drama | Origem: Espanha, Estados Unidos

Em Smeerensburg, remota ilha localizada acima do Círculo Ártico, Jesper (Jason Schwartzman) é um estudante da Academia Postal que enfrenta um sério problema: os habitantes da cidade brigam o tempo todo, sem demonstrar o menor interesse por cartas. Prestes a desistir da profissão, ele encontra apoio na professora Alva (Rashida Jones) e no misterioso carpinteiro Klaus (J.K. Simmons), que vive sozinho em sua casa repleta de brinquedos feitos a mão. 

Impressões: 

Agora sim! Netflix está 100% no clima de natal 2019. Apresentando mais uma obra original, dessa vez apostando tudo no segmento de animação e aventura. Klaus é o novo sucesso da plataforma de filmes on-line, com beleza e sutileza para o natal, que está logo aí, menos de um mês para os festejos e comemorações em família e amigos. 

O longa entrega uma premissa do qual o personagem principal é conhecido como Jesper, sendo ele um privilegiado em ter nascido em berço de outro e só querer ter uma vida boa e tranquila, sem preocupações com seus semelhantes. Porém! Jesper deixa de lado o seu trabalho em uma agência dos correios, desapontando o seu pai. Fazendo-o tomar uma ríspida atitude para com o seu filho. 

Jesper é enviado para uma ilha pacata e tranquila, tendo como missão, assinar o envio de seis mil cartas em um período de um ano, se conseguir, poderá voltara para sua terra natal. 

Netflix conseguiu entregar uma obra sem muitas firulas, sendo simples e direto para os espectadores de qualquer faixa etária e gostos. Sergio Pablos é o responsável pela direção e produção do longa, sendo amplamente conhecido por trabalhos de sucesso, tais como; Meu Malvado Favorito (2010). 

O longa possui uma identidade visual moderna e caracterizações que dão um ar mais vivo para os personagens. O protagonista vai encontrar sérios problemas na pequena ilha. A população vive em uma disputa entre dois clãs, sendo assim, mal se comunicam entre si. Desafio e tanto para o jovem Jesper. 

Klaus possui suas peculiaridades, sem o viés religioso, tendo como foco, mostrar o lado capitalista que o natal provoca, logicamente sem deixar de lado toda magia da época. Klaus cumpre o seu papel de entregar uma obra digna de final de ano, atendendo os parâmetros natalinos que agrada à todos.


Um comentário:

  1. Eu estava louca querendo ver esse filme mas ainda não vi.
    Ahhhh, depois dessa resenha mal posso esperar pra ver *---*

    Adoro filmes natalinos.

    ResponderExcluir



Topo