Resenha: Heroínas

Título: Heroínas | Autoras: Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares
Editora: Galera | Ano: 2018 | Páginas: 256


Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem.
Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura.
Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais.
A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram.
E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças.
Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.


Olá! Em especial, olá maravilhosas! Como vão?


Hoje trago a resenha desse livro que contem três histórias de muito girl power, sororidade e resistência. Tem como não amar? E o melhor, são releituras nacionais de histórias clássicas onde o homem é o grande herói do rolê. Amei desde que li a sinopse e após a leitura, fiquei transbordando de alegria. Por quê? Porque a Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares fizeram um trabalho incrível.




“Se tem uma coisa que a convivência com vocês me ensinou, é isso: ser amiga de uma mulher é apoiar em tidas as situações, não só quando é fácil ou quando convém - (...) É romper com o mito da competição feminina, é acabar com as inseguranças e com os estereótipos... Eu aprendi a escutar e a valorizar a fala da outra, ainda que, às vezes, seja uma fala diferente da minha: a voz de toda mulher deve ser respeitada. Sororidade é isso, né? É a gente reconhecer uma na outra. (p. 69)”


‘Uma Por Todas E Todas Por Uma’ de Laura Conrado é a nova versão dos Três Mosqueteiros protagonizada aqui por Daniela, 16 anos, que seguindo os passos da mãe, sonha em ser veterinária e trabalhar na ONG Mosqueteiros de proteção aos animais, onde conhece as universitárias e mosqueteiras Aline, Agnes e Poli com quem cria uma linda amizade e lutam juntas pelo futuro da organização. Aqui vemos amizade verdadeira de mulheres com diferentes idades, uma paixonite pelo melhor amigo do Ensino médio e muitos animais fofinhos.


Não imagino o amanhã, e antes que isso me assombre, lembro que não estou sozinha. E no fim das contas, é isso que uma mulher que está crescendo quer ter certeza, de que ela terá a companhia e o incentivo de outras. Tornar-se mulher não tem nada a ver com as convenções que escutei até aqui: estar em um relacionamento com um homem, estar bonita e no peso ideal, estar bem vestida, ter apenas algumas amigas e várias inimigas invejosas, como se isso fosse indicador de felicidade. Ainda estou descobrindo a mulher que quero me tornar, mas me sinto confortável por saber que vou, mas não sozinha. Sempre vai ser uma por todas e todas por uma! (p. 78)

‘Formandos da Távola Redonda’ de Pam Gonçalves traz a releitura de ‘Rei Artur e Os Cavaleiros da Távola Redonda’ ao nos apresentar a ótima aluna Marina que recebe a quase impossível missão de organizar a festa de formatura do 3º ano após a escola pública onde estuda ter sido roubada e o dinheiro, sumido. Assim, reunidas na mesa redonda da biblioteca, ela e mais 5 meninas devem reintegrar a classe, conseguir a verba e se formar numa linda festa. Aqui, os dramas da escola estão em alta, amizades tóxicas, desilusões amorosas, a incerteza do futuro, a pressão do vestibular, a descoberta do corpo e da sexualidade. Foi lindo ver a aproximação gradual das meninas e o desabrochar dos talentos que cada uma tinha. Esse conto exalou amor e aceitação.

“O silêncio ainda perdurou algum tempo até que as posturas relaxaram, e as garotas voltaram a se sentar sem dizer uma palavra. Uma lei não dita tinha ficado bem clara para todas aquelas mulheres. Só poderiam confiar nelas mesmas.”

‘Robin, A Proscrita’ de Ray Tavares mostra a ‘Robin Hood’ dos tempos modernos com a história de Roberta, uma cracker (hacker do mal) que após trágicas perdas na família, rouba dinheiro de religiosos e políticos corruptos para ajudar a comunidade onde mora, Selva de Pedra. Muito politizado, esse conto mostra de maneira enfática como a vida das pessoas de periferia é afetada com as injustiças sociais e diferenças econômicas, como essas pessoas vulneráveis e perdidas anseiam por oportunidades e por verdadeiras heroínas em suas vidas. Foi uma história madura, responsável e muito necessária. Aqui também tem amizade, vingança e amor. Foi o que eu mais amei.

"- Você não tem, tipo ... medo?
- Se eu viver com medo, não vou sair de casa, não vou, de fato ... viver." (p. 157)

Essa foi mais uma leitura para o Desafio Literário do Livreando - DLL - para o tema Livro com mais de um autor, do mês de setembro. Estou muito surpreendida e feliz que a tenha lido. Nos tempos que vivemos hoje, é importante lutarmos, resistirmos e nos representarmos frente a tanta repressão.



E aí? Conhecia essa obra? Conhecia as autoras? Confesso que apesar de conhecê-las por nome, não havia lido nada delas. Acho que essa situação mudará após essa leitura.


Beijos e Cheiros.

Até a próxima! ♥



10 comentários:

  1. Primeiro, seu blog é lindo demais. <3 Adorei a premissa de fazer releituras de histórias já conhecidas, tendo mulheres como protagonistas e no mundo contemporâneo. Acho que precisamos disso, ler mais mulheres que falam sobre mulheres. Adorei o livro, já vou colocar aqui na listinha. Parabéns pelo post! :)

    http://apenasfugindo.com

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Que dica legal 😊 eu adorei a temática do livro é ótima

    ResponderExcluir
  3. Que bom saber que gostou da obra, eu fiquei bem curiosa com a proposta desse livro e já tem um tempo que quero ler ele, espero ter a oportunidade, ótima resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oiii

    Conheço as autoras (e adoro!) mas a obra nunca tinha visto, gostei dessa releitura, parecem ser contos bem interessantes e divertidos. A capa tb ficou lindissima.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. O seu blog é lindo! Amei o layout e aqui é tudo bem organizado. Amo resenhas. Amo blog que leva o livro mais adiante.
    Lindo mesmo!
    Esse livro ainda não tive o prazer de ler, mas gostei da premissa e das fotografias. Muito carinhoso da sua parte.
    Beijos Karoline!
    Até a próxima.
    https://rob-umarosaazul.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu amo releituras e histórias com personagens femininas interessantes, então já fiquei bem interessada em ler esse livro sabendo que você curtiu a leitura.

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre achei que esse livro era a mesma história só que adaptada para ter as meninas como protagonistas. E era isso que fazia eu querer ler a obra quando a via nas livrarias.
    Não curti dessa mudança toda da história, não li mas parece que foi só usada a ideia desses personagens iconicos e criado algo diferente por cima.

    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Sou apaixonada por releituras e saber que colocaram meninas tão poderosas, justamente por serem tão parecidas conosco, pessoas comuns em um mundo comum. Isso nos faz pensar em nós da mesma forma, nos percebermos mais. Adorei a proposta do livro, anotei a dica.

    ResponderExcluir
  9. Ah, eu lembro que estava no lançamento desse livro aqui em BH. As autoras estavam presentes. E já dei carona pra Laura para um Clube do Livro aqui na grande BH.
    Eu queria ler essas histórias em dia. Principalmente a da Laura.
    Ficou uma graça o post. Adorei!
    Beijocas

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  10. Oi, Karol.
    Esse não é o tipo de leitura que eu procuro, mas acho bacana ver que há um público para todo tipo de história!! Gostei de saber que você curtiu essas releituras e acho que tenho as amigas certas para quem indicar esse livro! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir



Topo