Resenha: O caso da mansão Deboën

Título Original: Meddling Kids  | Autora: Edgar Cantero
Editora: Intrínseca - Intrínsecos Jan. 2019 | Ano: 2018 | Páginas: 352
 

Eles se conheceram na infância, nas férias em Blyton Hills - a cidade debruçada no lago mais enigmático que uma criança poderia imaginar. Anos depois, Andy é uma mulher extremamente solitária e sente que não se encaixa em lugar algum; Kerri busca consolo para seus medos e complexos na bebida; Nate se interna voluntariamente em hospitais psiquiátricos e tem a constante companhia do fantasma de Peter, o amigo que se tornara um astro de Hollywood mas morreu de overdose. Nenhum dos quatro podia imaginar que seu futuro seria fadado ao fracasso por conta de uma aventura adolescente envolvendo a Mansão Deboën.

Mais de uma década antes, em 1977, eles eram apenas quatro jovens inquietos, acompanhados de um simpático cachorro, quando foram até o lago da cidade de Blyton Hills para desvendar um mistério. Em vez de monstros assustadores e espíritos vingativos, o Clube dos Detetives de Blyton, como eles se intitulavam, descobriu que tudo não passava da tramoia de um criminoso fantasiado. Mas o que eles viram e ouviram naquele dia jamais deixa de aterrorizá-los.
Com a vida estagnada e imersa em um caos insuportável, Andy se convence de que é preciso enfrentar o passado que não os permite seguir em frente. O grupo então se reúne para tentar entender o que realmente aconteceu naquele fatídico verão e, desta vez, terão certeza de que a resposta é muito mais macabra e perigosa do que imaginavam.

Olá, maravilhosos! Hoje trago a resenha do livro da primeira caixinha que recebi do Intrínsecos, clube da editora Intrínseca. Cantero traz uma ficção de suspense e mistério com uma dose de comédia definida como "Scooby-Doo encontra Buffy".


Tudo começa 13 anos antes, nas férias de verão, quando 4 crianças se conheceram em Blyton Hills e desvendam diversos mistérios que assolam a cidade com o CBD – Clube de Detetives de Blyton. Porém, o último caso dos meninos foi o mais enigmático e marca suas vidas até hoje.


Em 1977, Kerry, Andy, Nate e Peter e seu simpático cachorro (Já pegou a referência?) desvendaram o Caso da Mansão Deboën. Em volta do lago da cidade, eles descobriram que monstros e espíritos malignos que perturbavam a mansão não passava de um criminoso fantasiado de Salamandra. Que tramoia! Mas seria só isso mesmo?


O que eles viram e ouviram naquela noite os aterroriza até hoje. Andy, a valentona que tenta lidar com sua sexualidade e problema com a polícia, resolve juntar todos os detetives para voltar ao centro de seus maiores medos: Mansão Deboën, Blyton Hills. Assim, ela encontra Kerry, uma frustrada bióloga, alcoolatra e garçonete, e resgata Nate de um hospital psiquiátrico, um nerd que adora o oculto e tem visões com Peter, o quarto componente do CBD que outrora era astro de Hollywood e morreu de overdose (Suicídio?!) . A turma é completa com Tim, o cachorro descendente do cão que compunha a equipe original.

"Por um segundo, temi o pior. (...) Não só pela noite, mas pela névoa, e... merda, estava tudo quieto demais. O mundo nunca deveria ficar tão quieto assim. Nem nos desertos, nem no fundo do oceano. (Pág. 111)"


Chegando na cidade, é notório que ela parou no tempo. As casas, as pessoas, a atmosfera não é a mesma. Assim como suas vidas, a cidade é um fracasso e enfrentar o passado é essencial para seguir em frente. O que realmente aconteceu no último caso do CBD? O que o caso da Mansão Deboën mudou na vida de cada um deles naquele verão? É o que vamos descobrir lendo essa obra.


Eu amei o livro! A referência a cultura pop de 1990, às animações e vários personagens que acompanharam nossa infância estão presentes e é tão bom relembrá-los. Mas ao contrário do que li, esse livro não é infantil. Ele trata de temas importantes na vida de jovens adultos e alguns um tanto polêmicos: saúde mental, suicídio, alcoolismo, homofobia, crescimento pessoal, sentimental e profissional, quem devemos ser ao nos tornarmos adultos ... por trás de todo esse mistério e criaturas do mal, é necessário combater nossos próprios fantasmas, medos e reconhecer as verdadeiras amizades para seguirmos nosso caminho.

"Sim, porque ... o problema não é carregar um pedaço ruim de uma alma. O problema é que ela não pertence a vocês. E algum dia o dono pode querer esse pedaço de volta. (Pág. 237)"

Adorei conhecer a escrita de Edgar Cantero. O livro é dividido em 5 partes bem estruturadas e os personagens são bem construídos e muito importante para a trama, cada um com sua personalidade e expertise é essencial para a descoberta do mistério. Destaco aqui as personagens femininas: Andy, que deu o primeiro passo para o reencontro, e Kerry, com seus conhecimentos biológicos, desvendou aquilo que parecia sobrenatural demais.

"Tudo que a gente faz na vida é arranjar um jeito de lidar com as nossas questões. (Pág. 175)

Esse livro foi lido para o Desafio Literário Livreando do mês de junho no tema “Um livro de capa vermelha” tomando como leitura o livro do Intrínsecos e não, a capa das livrarias. A obra é muito cinematográfica. É impossível lê-la e não imaginar um filme passando em nossas mentes. As sacadas,  as sequencias de cenas, as deixas de fala, a descrição dos ambientes e criaturas, tudo magistral!

Esse livro veio na caixinha #4 do Clube de Assinaturas que manda para nossa casa livros inéditos da editora os quais só chegarão às livrarias 45 dias depois de recebermos. Ele chegou em Janeiro e só conseguir ler agora. O lado bom é que consegui encaixar a leitura no DLL do mês (Amem!). Nessa caixinha, recebi todas essas coisitas:
- 1 mini bottom do Clube dos detetives de Blyton; 
- Um bilhete com uma pista (é uma das pistas descritas na estória); 
- Um ímã de pinguim (o pinguim de borracha é um elemento importante na trama); 
- Uma caderneta maravilinda; 
- A revista literária que leva nossa leitura para novos horizontes e a torna mais densa e profunda; 
- E claro, em capa dura e colecionável em cor vermelho, o tal LIVRO DO MÊS. A obra inédita "O caso da mansão Deboën" de Edgar Canteiro. Acompanhado de um marca página e um cartão postal que é a capa comercial da obra; 
- Tudo isso enroladinho num jornal datado de 29 de agosto de 1977, com a reportagem do caso ocorrido na narrativa.



E ai?! Conheciam a obra e o autor? Vocês assinam algum clube literário? Já conheciam o Intrínsecos? Conta pra gente a sua experiência!

Beijos e Cheiros.
Até a próxima!

7 comentários

  1. Ah! Estou bem curiosa para ler esse livro. Tenho visto muitas boas resenhas e as edições do intrínsecos são belíssimas!
    Atualmente eu não estou assinando nenhum clube, mas o que eu gostei mais de todos que assinei foi da Tag Inéditos, que pretendo voltar a assinar em breve!

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia muito bem a história desse livro, mais confesso que me arrependi de não ter escolhido ele antes, espero ter a chance de leitura em breve!

    ResponderExcluir
  3. Oi Karolline

    Eu estou bem curiosa para ler este livro ainda mais sabendo que a história está envolvida na cultura pop de 1990. Teve ser uma leitura bem interessante e essa edição que você adquiriu é linda. Parabéns pela resenha. Adorei!

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Eu sou assinante desde a primeira caixinha, estou tentando ler na ordem e esta semana acabei de ler este. Li muitas criticas e vi muita gente que não gostou. Eu curti a leitura, adorei as personagens femininas, também, e achei uma leitura muito leve e gostosinha, também senti a história como um filme, conseguia visualizar as cenas e personagens. Ótimo livro, com certeza.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, amo esses livros onde parece que a gente está assistindo um filme, onde é fácil visualizar as cenas, e pela sua resenha fiquei bem curiosa para ler ele, pois também gosto dessas coisas de mistério e amigos que se reencontram anos depois.

    ResponderExcluir
  6. Achei interessante a história do livro e já li muita gente elogiando muito os livros escolhidos para o Intrínsecos. Parece uma ótima leitura.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  7. Quero muito assinar essa caixinha também, sei que vou amar! Adorei a premissa desse livro, ele parece ser uma leitura maravilhosa e fiquei morrendo de curiosidade para ler também

    ResponderExcluir