Resenha: Marina

Título Original: Marina | Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma | Ano: 2011 | Páginas: 192
Sinopse: Na Barcelona dos anos 1980, o menino Óscar Drai, um solitário aluno de internato, conhece Marina, uma jovem misteriosa que vive num casarão com o pai idoso. Em passeios pela cidade, os dois presenciam uma cena estranha num cemitério e se envolvem na resolução de um mistério que remonta aos anos 1940. Numa tentativa inútil de escapar da própria memória, Oscar abandona sua cidade. Acreditava que, colocando-se a uma distância segura, as vozes do passado se calariam. Quinze anos mais tarde, ele regressa à cidade para exorcizar seus fantasmas e enfrentar suas lembranças - a macabra aventura que marcou sua juventude, o terror e a loucura que cercaram a história de amor.

Esse livro está em minha estante há tanto tempo que já tinha esquecido de sua existência. Como tive que recontar meus bebês, acabei achando "Marina" e colocando na minha meta do DLL de Janeiro.

Óscar Drai amava explorar a cidade durante as horas vagas do internato em que estudava. Tinha um encanto pelos casarões mais abandonados e sua imaginação voava perante aqueles monumentos senhoriais. Sua curiosidade o fez adentrar em um desses casarões e mesmo com certo medo, foi avançando mais e mais.

Em meio ao encanto do mistério e descoberta, Óscar sente o medo crescer quando percebe uma figura se aproximar com olhos flamejantes. Em pânico, Óscar sai do prédio levando consigo um relógio que aparentemente tinha um valor sentimental.

"Nos dias que se seguiram, o danado do relógio é eu viramos companheiros inseparáveis (...)" Tudo isso é porque não foi achado, foi roubado", sussurrava em meu ouvido uma voz acusador a." p.13

Com os dias, ele sentiu o peso do objeto que não lhe pertencia e resolveu voltar. Lá encontra Marina, seu encanto foi instantâneo, só não foi mais duradouro do que o receio de encontrar o dono do relógio roubado, German, pai de Marina.

A partir desse momento começamos a acompanhar a interação entre Óscar, Marina e German e a grande aventura sombria que acompanharam os dois. Quem poderia imaginar que uma simples curiosidade desenterraria grandes segredos de uma tragédia já quase esquecida.


Com direito a encantos, mistérios, uma história de amor sombria do passado e uma relação inversa com a obra "Frankenstein", "Marina" encanta pela aventura sem tantos exageros e descrições bem feitas que quase se tornam palpáveis.

"Na época, não sabia que, cedo ou tarde, o oceano do tempo nos devolve as lembranças que enterramos nele." p.8

Narrada pela visão do Óscar, a obra nos entrega o quão pessoal e forte são os acontecimentos dessa memória tão encantadora. "Marina" nos mostra o quanto os momentos e as experiências são marcantes e especiais, seja pelo segredo ou pela companhia, e é isso que encontramos aqui, uma aventura que constrói uma forte amizade, um amor juvenil, e a perda. Tudo isso narrado com a simplicidade que envolve e a sensação de não querer que a história acabe quando chegamos ao fim.

Amei a interação dos personagens, German é o completo encanto. Óscar também não fica por menos, seu amor a sua nova rotina nos alegra. E Marina é aquela faísca que alimenta toda a história. 

A parte fantástica também me agradou demais. Foram os momentos que mais senti a história. Os detalhes de cada espaço me faziam imaginar todo o cenário de maneira clara, e confesso, isso algumas vezes não foi nada legal, hahaha. 

Amei a tonalidade da capa, só o que me incomodou foi a garotinha. Eu simplesmente não consegui relacionar ela com a Marina que criei em nenhum momento.

Carlos Ruiz Zafón mostra seu talento em descrever cada acontecimento de maneira vívida e apaixonante. Com toda certeza é um autor que temos o prazer de conhecer. Ele simplesmente consegue reunir diversos gêneros e construir uma história que envolve e fascina.

É vocês já leram Marina ou alguma outra história de Zafón? Conta aí!

🔹 Desafio: #DLL19
📚 Tema: Um livro (mais velho) ainda não lido da sua estante. 

Bjim! 




14 comentários

  1. Olá, já ouvi falar muito desse livro. Já tive curiosidade, mas nem tinha ele, por coincidência nessas férias, viajando, passei por uma livraria e esse livro estava na promoção. Comprei, espero lê-lo ainda esse ano, nunca li nada do autor e sei que ele é bem recomendado!

    https://blogpaginasembranco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana,
      Não será uma leitura perdida. Tenha certeza!
      Bjim!

      Excluir
  2. Oiii, Tammy, tudo bem?
    Que dica maravilhosa essa, eu fiquei bem surpresa e quero me envolver fielmente com toda a história, sua resenha ficou ótima e quero saber o que a obra tem a nos revelar, sua resenha ficou ótima e linda essa edição.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Já vi alguns comentários bem positivos quanto a este livro e gosto dessa atmosfera sobrenatural que ele possui. Fiquei animada em saber que além disso ele traz a parte fantástica, sem dizer estes cenários que de tão bem narrados são palpáveis, isso deve tornar a leitura ainda mais emocionante. Ainda quero ler esse livro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oii! Eu nunca li um livro com essa temática, mas parece de reais bem interessante! Ultimamente fantasia tem me agradado muito, um gênero que to apostando sempre! É bom achar uns livros bons perdidos assim na estante né?

    Beijos!
    Ana Luiza
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Eu nunca li nada do autor, mas tenho bastante curiosidade, já que vejo falarem super bem das obras dele. Adorei tua resenha e fiquei louca para ler "Mariana".

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Já tinha escutado sobre esse livro a muito tempo, mas confesso que nunca foi meu tipo de leitura então não me vejo fazendo ela de maneira alguma mas de qualquer forma eu adorei poder conferir sua opinião sobre, parabéns, está ótima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, eu quero muito ler ago do autor, sempre vejo elogios a ele. Marina parece ter uma história muito bacana pela sua resenha, já fiquei imaginando a culpa do personagem pelo roubo do relógio.

    ResponderExcluir
  8. Oii Tammy

    Sempre me recomendaram os livros do Zafón, mas nunca soube bem o que iria encontrar, com essa resenha de Marina deu pra ter uma idéia. É um autor que quero ler, acho que vou gostar porque tem essa parte fantástica bem construída que eu sempre gosto nas histórias.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Caramba acredita que eu vi este livro ontem em uma feirinha por aqui e não comprei porque não conhecia o livro e nunca tinha lido nada sobre ele? Deveria ter lido sua resenha antes. Adorei saber que vale a pena, adoro livros com elementos fantásticos e bem descrito.
    Adorei a resenha
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá

    Li Záfon na adolescência e desde essa época nunca mais toquei numa obra escrita por ele.
    Vi o lançamento de uma coleção de livros dele pela Suma - como esse que você resenhou - e retornou minha chama por ele.

    Esse parece ser maravilhoso e vou comprar em breve.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Ola!!

    Sempre que fuçamos em nossa estante, encontramos várias coisas interessantes, não é mesmo?
    Confesso para ti que não conhecia essa obra, mas achei bem interessante a sua premissa e tenho que dizer que achei a capa linda. Infelizemente, não estou tendo mais tanto contato com o sobrenatural, então, acredito que esse livro não é pra mim.

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Esse livro é extraordinário, Zafón é O escritor. Eu li há alguns anos, emprestado, infelizmente, não tenho meu próprio original.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Ainda não tive oportunidade de ler nada do autor, porém fiquei sou bem curiosa quanto, afinal, só vejo elogios para as obras dele. Não conhecia o livro, mas fiquei bem curiosa. Sobre recontar a estante e achar alguns perdidos, isso acontece comigo também haha Adorei a resenha!
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir