Resenha: Um Cocheiro em Paris (O Quarteto do Norte #3)

Título Original: Um Cocheiro em Paris | Autora: Chirlei Wandekoken
Editora: Pedrazul | Ano: 2017 | Páginas: 86
Sinopse: Quando o duque de Belvoir teve que sair às pressas da casa de Juliette Drouet, a amante de Victor Hugo, para não ser pego em flagrante pelo próprio escritor, sua única alternativa foi dirigir a própria carruagem pelas vielas de Paris. O que ele não esperava, contudo, era que tivesse que socorrer uma dama que acabara de chegar à cidade. A carruagem do Hôtel de Ville, que fora buscá-la no porto, havia quebrado um eixo e ele passava no exato momento do acidente. Não teve alternativa senão esconder a sua identidade, pois a jovem estava acompanhada justamente da ordinária baronesa viúva de Patchetts, uma antiga vizinha do duque seu pai, no Norte da Inglaterra. Tudo o que ele — o duque inglês bastardo — não podia, naquele momento, era ser reconhecido. Assim, apresentou-se como o cocheiro do conde Filippo Raspail e prestou socorro às damas. Fruto da relação de um poderoso duque inglês, que não tivera filhos no casamento, com uma cortesã francesa, Belvoir — assumido pelo pai — vivia uma vida desregrada em Paris. Embora na juventude tivesse tido certa proteção moral por parte dos amigos, o duque de Prudhoe e o conde de Northumberland, sofrera muita rejeição da aristocracia britânica, sendo chamado de ‘lorde bastardo’. Por isso, tinha convicção absoluta de que nunca se casaria com a filha de nenhum deles. Belvoir só não contava que Harriet Neville, a lady que socorrera, se apaixonaria de verdade por ele, mesmo achando que fosse um humilde cocheiro.

📚E-book cedido pela Editora Pedrazul

Oliver Stanhope, o duque de Belvior é um daqueles libertinos agarrados pelo coração. Sua fama é grande, conhecido como um dos integrantes do Quarteto do Norte, ainda tem em sua vida o escândalo de seu nascimento, que tenta esquecer ao máximo. Ao sair apressado de um encontro proibido, ele se depara com um acidente e tentando ajudar, acaba sendo confundido com um cocheiro.

Belvior não fez nada para mudar o engano, já estava surpreso o suficiente por encontrar a baronesa mexeriqueira que espalhou o quão bastardo era, não colocaria fogo na palha revelando sua identidade. Mas também teve uma satisfação, pode vislumbrar um pouco de Harriet Neville, e como era de sua natureza, resolveu ir trás da dama, porém, como um cocheiro e não um duque.

Harriet era uma jovem que sempre era julgada, seja pelo casamento tardio que ainda não acontecera, seja pela sua aparência, bem diferente das demais. O fato de ser mais robusta não lhe agradava e era falatório de sua tia baronesa. Apesar de ter um casamento arranjando com o primo, que não amava, acabou se encantando com o cocheiro que havia lhe ajudado. Quanta infelicidade, hein?

"Nossa! Um cafajeste, quando resolve se acertar, não sabe nem como começar."

De início, Belvoir só queria satisfazer suas vontades, mas acabou caindo na própria teia. Ao conhecer como realmente Harriet era, o quanto a sua companhia era agradável, acabou se apaixonando pela mulher que não ligava a mínima por ele ser um cocheiro. Única saída seria revelar a verdade, tentar convencê-la a se casar com ele e se entender com o atual pretendente e um dos seus melhores amigos. Isso não seria tão simples para ele.

Eu sou completamente apaixonada por essa série, desde quando li o primeiro livro e todos esses personagens foram apresentados, sempre tive certa curiosidade de conhecer mais Belvoir, justamente por sua distância em certos momentos do livro A Estrangeira, e aqui em Um Colcheiro em Paris acabamos descobrindo seu real motivo, finalmente!

Para quem já viu minhas resenhas dessa série sabe que se eu pudesse viver ao lado desse quarteto, viveria, porque amo cada um, com os seus escândalos e histórias loucas. E nesse não foi diferente. Amei saber mais sobre Harriet e suas desventuras até conhecer Belvoir, sua percepção pelo casamento arranjado que nunca fora de acordo.

A história tem uma narrativa bem linear, e para quem já leu o primeiro livro, fica bem mais curioso do que preocupado com o futuro dos dois personagens, e completamente encantado com a narrativa que a autora nos entrega. É bem fácil entrar nesse mundo.

"Ela era tão macia, tão voluptuosa. Para Belvoir, ela era linda!"

Outra coisa que gostei muito também foi a troca de visão. Harriet era considerada fora dos padrões e o fato de Belvoir amar justamente isso, por causa dos seus traumas passados, nos faz enxergar o outro lado da moeda.

Para aqueles que gostam do gênero, tenho certeza que amarão a história da série em si. Eles podem ser lidos de maneiras aleatórias sem problema, mas eu indico ler pelo menos o primeiro, pois vai te facilitar no tempo e acontecimentos. A história não tem grandes dramas, até pelas quantidades de páginas, mas vai agradar.


13 comentários

  1. Olá!
    Essa é uma autora que preciso conhecer as histórias e pretendo pelo menos em 2019 conferir essa série. Sou fã de romance de época e já pude perceber que o casal é daqueles que mesmo com diferenças, juntos não tem pra ninguém.
    Acho que vou gostar!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tammy!
    Não sou uma grande leitora de romances de época, mas te confesso que esse chamou minha atenção. Adoro personagens libertinos quando eles são bonzinhos, mas odeio quando eles são grossos com a mocinha. Pela sua resenha, fiquei com a impressão de que Belvoir é alguém humilde por deixar que o considerem o cocheiro, e eu adorei isso. Adorei também o fato da Harriet ser fora do padrão. Acho que eu iria gostar de ler essa história. Obrigada pela dica! Ah, e também achei muito fofo o layout do seu blog. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito de romance de época, mas não conhecia esse livro em questão, mas adorei essa premissa. Belvior se passar por cocheiro, deve ter sido no minimo engraçado e saber que ele caiu na própria teia, ainda mais com uma mulher fora dos padrões. Por saber que podem ser lidos de forma aleatória eu anoto essa dica, quero ler.

    Beijokas.
    https://acabinedeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Não conheço essa série de livros, mas fico feliz que você tenha gostado desse novo livro e tenha se divertido! Eu, infelizmente, não sou fã de romances de época, por isso não consegui me interessar muito pela narrativa, contudo, o fato de o protagonista ser um bastardo, é algo digno de nota, pois sabemos o preconceito que essas pessoas sofriam na época. =)

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tammy!

    Eu fico aqui pensando como pude nunca ter ouvido falar dessa série se sou apaixonada por romances de época!!!! Mas é verdade, creio que é a primeira vez que leio uma resenha sobre um livro dessa série e fiquei muito curiosa.

    O fato do mocinho não ser um lorde comum já me agrada e tudo fica melhor por a mocinha ser fora dos padrões. Sempre prefiro os romances que fogem um pouco daquele padrão imposto tanto pela sociedade quanto pelo mercado editorial. E confesso que ficaria ainda mais feliz se ele de fato fosse um simples cocheiro e não um lorde.rsrs Me parece um livro muito bonito, daqueles que vale a pena ler. Creio que darei uma chance para essa série um dia!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi! A história parece ser divertida e encantadora ao mesmo tempo, mas infelizmente não é bem o que eu procuro em uma leitura. Eu tenho um leve problema com histórias onde o rapaz (ou a moça) se apaixona pela namorada/noiva/etc do melhor amigo, ou coisas nesse estilo. Mas para aqueles que não se importam com isso e gostam de romances de época, acredito que irão se interessar pelo livro.

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tammy.
    Adoro o gênero e amei conhecer mais sobre essa história.
    Já vou atrás do primeiro livro porque, apesar de você ter dito que podem ser lidos foram de ordem, eu tenho toc com essas coisas!! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Apesar da série poder ser lida de maneira aleatória, sou do tipo de leitora que nao consegue ler fora de ordem hahaha nao conhecia a série mas me parece ser incrível, do tipo que a gente se envolve realmente com o enredo, dica anotada!

    ResponderExcluir
  9. Oi Tammy!
    Ainda não conhecia essa série.
    Não gosto muito deste gênero, mas sua resenha me deixou curiosa. Quero ler sobre o envolvimento de Harriet e Belvoir e ver como essa história termina.
    Pretendo pegar os outros livros desta séries para saber o porque este quarteto ser tão apaixonante.
    Adorei as quotes escolhidas e a resenha ficou maravilhosa!

    Beijos
    FLeituras

    ResponderExcluir
  10. Eu adoro quando um mocinho se apaixona pela mocinha fora dos padrões. Ganha todo o meu respeito e por causa disso, já quero ler o livro imediatamente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?
    Eu sou louca para ler essa série mas infelizmente ainda não surgiu a oportunidade! Sou uma apaixonada por romances de época, então fiquei super curiosa para conhecer esses personagens. Achei bem legal ela ter problemas por ser considerada fora dos padrões enquanto ele sofreu justamente pelo contrário. Dica anotada, espero poder conferir em breve. ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá, esse livro parece ser um romance de época delicioso de se ler. Achei super interessante o fato de o nobre fingir ser um simples cocheiro, já vou procurar o livro para ler também.

    ResponderExcluir
  13. Olá Tammy,
    ainda não tinha lido/ouvido nada sobre essa série, mas como sou apaixonada por livros de época já me interessei pelos dilemas desses personagens. Sempre gostei de acompanhar a trajetória dos lordes e das ladys que desafiam os padrões sociais da época, e pelo visto tanto Belvior como Harriet se encaixam perfeitamente nesta categoria, né? Já quero conhecer melhor esta série e estes personagens.

    Abraços!

    ResponderExcluir