Cine Livreando - A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata


Título Original: The Guernsey Literary And Potato Peel Pie Society | Direção: Mike Newell Lançamento: 10 de Agosto de 2018 | Duração: 02h04 min | Elenco: Lily James, Michael Huisman, Matthew Goode, Jessica Brown Findlay e Tom Courtenay | Gênero: Drama, Histórico 
Origem: Reino Unido, Estados Unidos 

Juliet Ashton (Lily James) é uma escritora na Londres de 1946 que decide visitar Guernsey, uma das Ilhas do Canal invadidas pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, depois que ela recebe uma carta de um fazendeiro contando sobre como um clube do livro local foi fundado durante a guerra. Lá ela constrói profundos relacionamentos com os moradores da ilha e decide escrever um livro sobre as experiências deles na guerra. 

 Impressões: 

 Saudações cinematográficas, queridos Livreadores. Tudo bem com vocês? Espero que sim! Vamos de mais um filme original da nossa querida e amada Netflix? Bora falar um pouco mais do longa: “A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata”, o título também é bem longo, sacaram o trocadilho? 

Inglaterra, final da década de 40, logo notamos uma cidade sendo reconstruída ao ser devastada pelos ataques implacáveis dos nazistas. Uma personagem aparece para dar um brilho em meio ao caos. Juliet Ashton, uma escritora que aos poucos, começa a ganhar um espaço considerável no universo literário, com seus livros marcantes e intensos. 


Netflix brinda os assinantes com um drama de época, mostrando que são capazes de quebrar barreiras e não ficar apenas em comédias românticas adolescentes. 

Um grupo de amigos tenta viver uma nova vida, mesmo com a presença de resquícios dos inimigos em suas terras, existe uma válvula de escape, justamente os livros! Eles são usados para aliviar as dores e os medos provocados pelo horror da Guerra. 


Por conta de um incidente, eis que surge o clube de leitura, além de debaterem sobre literatura como um todo, o clube possui uma farta mesa de comes e bebes. Literatura e comida do começo ao fim. 

É indiscutível o realismo do longa, uma fotográfica impecável, os detalhes minimante reconstruídos da Londres do pós-Guerra, mostra o quão grande a Netflix está ganhando espaço. O longa possui diversos flashbacks com cenas do presente e passagem do passado. Juliet no decorrer da trama começa a ganhar um espaço maior, quando um dos integrantes do clube literário começa uma troca de cartas com a jovem escritora. 


Roteiro é outro fator que deixa ainda mais rico todo o longa, possuindo uma boa fluidez mesmo com suas mais de duas horas de duração, um pequeno deslize foi não ter apresentado de forma mais clara o ponto de vista da Segunda Guerra Mundial como um todo. 

Se vale a pena? Esse é um filme para os espectadores que apreciam um bom romance de época, já aqueles que estão procurando algo na Netflix para passar o tempo em pleno final de semana, essa é uma boa pedida e escolha certeira.


Nenhum comentário :

Postar um comentário