Resenha: Quando Nietzsche chorou

Título Original: When Nietzsche Wept | Autor: Irvin D. Yalom | Editora: Ediouro 
Páginas: 407 | Ano Lançamento: 2005 
Este livro tem como pano de fundo o fermento intelectual da Viena do século XIX às vésperas do nascimento da psicanálise. Friedrich Nietzsche, o maior filósofo da Europa... Josef Breuer, um dos pais da psicanálise... um pacto secreto... um jovem médico interno de hospital chamado Sigmund Freud - esses elementos se combinam para criar a saga de um relacionamento imaginário entre um extraordinário paciente e um terapeuta talentoso. Na abertura deste romance, a inatingível Lou Salomé roga a Breuer que ajude a tratar o desespero suicida de Nietzsche mediante sua experimental terapia através da conversa. Ao aceitar relutante a tarefa, o eminente médico realiza uma grande descoberta - somente encarando seus próprios demônios internos poderá começar a ajudar seu paciente. Assim, dois homens brilhantes e enigmáticos mergulham nas profundezas de suas próprias obsessões românticas e descobrem o poder redentor da amizade. 
Saudações literárias, queridos livreadores. Tudo bem com vocês? Espero que sim! Vamos dar início em mais uma semana, sem deixar de lado uma boa leitura. O livro escolhido é do autor Irvin D. Yalom, “Quando Nietzsche chorou”. Um romance histórico, profundo e impactante. 

O livro é um misto de romance parcialmente fictício, do qual o autor relata fielmente vários fatos e momentos reais sobre esse importante pensador e filosofo, outras partes já são ficcionais criados pelo próprio escritor para dar uma consistência no ritmo de toda trama. Outro personagem de destaque na obra é o Doutor Josef Breuer e o jovem ainda desconhecido, Sigmund Freud, sendo que ambos discutem os avanços da medicina, sendo que a psiquiatria estava dando os primeiros passos nas mãos de Freud. 

Todo o romance se passa em Viena, onde o Doutor Breuer é médico residente e renomado de sua épico. O doutor dedica-se tanto em sua profissão que deixa sua família e vida social em segundo plano. Na trama, uma outra personagem aparece, seu nome, Lou Salomé, do qual ouviu falar de toda reputação positiva do Doutor Breuer, sendo ele sua última esperança de ajuda. O renomado médico tem uma grande missão, tratar e achar uma cura para o amigo da bela Lou Salomé. Um paciente teimoso, sensível, orgulho e arrogante, seu nome? Nietzsche. 

O autor nos leva do início ao fim em uma viagem além do âmbito da psicanálise e filosofia, levando nós leitores para o lado humano, em ajudar o próximo, dedicando tempo e esforços para cumprir o papel de bom ser humano em auxiliar os que mais precisam de ajuda. Irvim D. Yalom possui uma escrita única, rebuscada que era utilizada na época. 

Outro ponto em destaque, do qual o autor se preocupou, foi transcrever todos os detalhes da época, mesmo assim deixando uma leitura fluída e instigante do começo ao fim. Um livro que mistura amor, dor e perdas. Vamos conhecer o início da psicanálise, uma viagem no tempo para conhecer um dos maiores filósofos de todos os tempos.


Nenhum comentário :

Postar um comentário