[Crônicas de domingo] Discurso Histórico - Mariane Helena


DISCURSO HISTÓRICO




"A liberdade jamais e dada pelo opressor, 
ela tem que ser conquistada pelo oprimido."


Martin Luther King


Existe um povo  das terras das bandas do sul do continente; a África propriamente dita; é um povo de pele escurecida como os encantos da noite, traços marcantes, lábios carnudos de um porte imponente, tal qual as riquezas encontradas nessa região. Esguios e resilientes, dominam terras arridas, e permeiam por paisagens quase que celestes.  Governados por um espirito livre e altivo.

Possuem um desenvolvimento expressivo, pois não necessitam de leis escritas ou ferramentas que os conduzam a uma civilização mecânica. Apenas com a oralidade e o olhar de um para o outro, já se faz o suficiente para a vida nessa comunidade dantes nunca vista!
Definitivamente, trata-se de um povo plural, multifacetado, com expressões singulares e um senso de organização que precede a inserção de nossos costumes. Já tem fundido aqui, tradições, culturas e crenças. E elas são muitas!

Em cada canto há uma tribo independente. Com raízes próprias, harmônicas e pacificas! A luta aqui é apenas em detrimento da sobrevivência e não pelo poder ou simples prazer de subjugar e dizimar.

As vestimentas de tão simples se tornam grandiosas. Se transformam  em ornamento quando graciosamente, alguns tecidos coloridos são amarrados um ao outro e ao corpo. Serve de proteção e adorno; garantindo também variadas formas, únicas. Até nisso, vê-se a singularidade.

Os homens são fortes, guerreiros, com vulto praticamente unanime. Os cabelos são negros e crespos. Igual, ainda não se tem notícia no mundo que conhecemos. Sempre elevados e volumosos, se assemelham as suntuosas coroas da realeza. Porém metal nenhum conseguiria reproduzir tal beleza. Além dessa inclinação nata; as mulheres ainda criam umas nas outras, trançados. Utilizam matérias da natureza como joias. Em meio a tantas belezas, fico sem palavras para descrever essa centelha de Deus que estamos a descobrir.

Reservo-me o direito de não concluir minhas observações, pois não cabe a mim limitar essa terra de mil encantos que despertou em mim sensações únicas. Concluo meu breve relato tomando a devida consciência do que é diversidade. Sem dúvida nenhuma precisamos nos apropriar de todo o conhecimento oriundo do coração da África. Posso dizer com propriedade que todo e qualquer contato com essa terra mãe, resultará numa imersão para dentro de nós. Entenderá mais sobre: raízes, sobre o humano e sobre a grandeza de Deus.




 Mariane Helena (Um ser humano negro)
Uma homenagem ao dia 13 de maio - Abolição da Escravatura

Nenhum comentário :

Postar um comentário