Autor em Destaque: Otávio Bravo

Saudações literárias, queridos Livreadores! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Vamos começar mais um dia com uma extraordinária notícia. Fechamos mais uma parceria com autor nacional, vamos conhecer um pouco mais sobre Otávio Bravo. Autor do romance “Travessuras da minha menina má”.

Otávio Bravo é carioca, tendo sido criado e residido a maior parte de sua vida no Rio de Janeiro. Estudou Direito na UERJ e Direito Internacional Penal na Universidade de Leiden, na Holanda, onde morou por dois anos, foi advogado e atualmente é promotor de justiça. “Travessuras da minha menina má” é seu primeiro romance. 






O autor possui os livros publicados pela Editora Chiado Books. Vamos conhecer os três volumes? 

“Era um verão devastador, aquele de janeiro de 84, com o sol a chamuscar a pele dos jovens que, em férias, acorriam às praias da Zona Sul. Um vapor invisível, mas perceptível, engolia as casas – ainda havia casas naquela época – e os prédios baixos do Leblon, sufocando amendoeiras, mangueiras, figueiras, chicas, pés-de-jambo, cajueiros, abricós-de-macaco e espirradeiras, que se misturavam na flora plural dos cariocas (...).
O Rio de Janeiro era, como sempre fora e sempre seria, a cidade fragmentada entre ricos e pobres, playboys da Zona Sul e favelados dos morros, brancos, negros, mulatos e mamelucos, todos separados e misturados ao mesmo tempo. Havia ali harmonia caótica, rompida, só bem de vez em quando, pelos episódios de opressão e violência que se tornariam bem mais comuns nas décadas seguintes.”
“Numa situação normal, eu estaria preocupado com a possibilidade de ser visto ali, jantando – e, mais ainda, num restaurante reservado e romântico – na companhia de uma aluna. Aquele tipo de coisa seria absolutamente inconcebível na Inglaterra.
Mas, com Maria Eduarda comigo, venciam-se quaisquer sopros da prudência e do discernimento. Era como a primeira vez vendo o mar, ou fazendo amor, ou recebendo às mãos um recém-nascido.
Estar com Duda era assim: ia-se de todo a razão, ficava apenas o encantamento.”

“Havíamos comido o brunch no Spotted Pig, na esquina da 11th com a Greenwich, assim que deixáramos o High Line, mas sempre que estávamos cansados das andanças, sentávamos em algum lugar para tomar um chá ou um sorvete. Eu nem percebia muito bem o que fazíamos e aonde íamos, e era ela que dava itinerário ao mapa do nosso passeio. Encantava-me estar ali, a ouvir suas rápidas intervenções ou somente vê-la sorrir do que eu dizia, e, em alguns momentos, parecia que tempo algum se passara e éramos nós dois novamente, eu e Duda, a passear pelo calçadão do Arpoador, pelas ruas de Londres ou pelas areias escuras de Lonesome Cove.”
Fiquem ligados! Logo mais teremos novidades e resenha das obras publicadas pelo autor Otávio Bravo. Não esqueçam de comentar, compartilhar e curtir. Até a próxima. 


Nenhum comentário :

Postar um comentário