[Crônicas de domingo] Cicatrizes - Mariane Helena


CICATRIZES


“ Eu adoro a ambivalência poética de uma cicatriz.
Sempre passa duas mensagens: “aqui doeu!”, “aqui sarou!”
(Louise Madeira)

Não se luta contra o passado; Não se luta contra a sua marca; não se luta contra uma cicatriz! Ela existe por uma razão; Nasceu através de uma fato; mas só permanece para nos ensinar. Ensinar a amar, ensinar a valorizar, ensinar a ser feliz com ela e através dela... Ela ensinar a primar em viver o aqui e agora!

Não é qualquer um que alcança uma cicatriz. Já ouviu o ditado: Cicatriz não nasce num morto? Pois bem, é exatamente isso! Seja ela como for. Se hoje você tem uma lesão... uma marca feia... É sinal de que você não sucumbiu a dor! Você venceu! E todo vencedor merece o seu troféu.

Sim! As cicatrizes também são provas. Ela prova que sua força é bem maior do que você poderia um dia imaginar (até passar por ela). Prova, que você superou o período de intensa dor... E que mesmo se em algum momento você “se rompeu”, Já colou! Cicatrizou!

A cicatriz é a vitória sobre o trauma! Seja ele, qual for. Físico, emocional, psicológico, social... Esteja ela visível ou não, ela simplesmente deixa claro que o que você sentiu “na pele”, te transpassou mas não te atinge mais: Você criou uma armadura, pois ela também é uma couraça!

Por tanto, ame suas cicatrizes! Ame seus “vestígios do mundo no mundo”. Dê significado e significância para o que a vida te deu, além da dor que te custou! Sigamos como ostras, que transforma as marcas de um infortúnio em uma pérola de valor único e intransferível.

Desejo que sua marca seja sempre pra ti uma memória, não um estigma. Uma divisa, não uma mancha. Que ela conte suas histórias e não seus defeitos.

MARIANE HELENA








Nenhum comentário :

Postar um comentário