Resenha: P.S. I Still Love You #2

Título Original: P.S. I Still Love You | Autora: Jenny Han | Editora: Intrínseca 
 Ano: 2015 | Páginas: 304 | Série: To All The Boys I'Ve Loved Before


LARA JEAN NÃO ESPERAVA SE APAIXONAR DE VERDADE POR PETER. Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito movimentada, pelo menos na cabeça dela. Para cada garoto por quem se apaixonou e desapaixonou platonicamente, ela escreveu uma bela carta de despedida. Cartas muito pessoais, que de repente e sem explicação foram parar nas mãos dos destinatários. Em Para todos os garotos que já amei, Lara Jean não fazia ideia de como sair dessa enrascada, muito menos sabia que o namoro de mentirinha com Peter Kavinsky, inventado apenas para fugir do total constrangimento, se transformaria em algo mais. Agora, em P.S.: Ainda amo você, Lara Jean tem que aprender como é estar em um relacionamento que, pela primeira vez, não é de faz de conta. E quando ela parece estar conseguindo, um garoto do passado cai de paraquedas bem no meio de tudo, e os sentimentos de Lara por ele também retornam. Uma história delicada e comovente que vai mostrar que se apaixonar é a parte fácil: emocionante mesmo é o que vem depois.

Você me deu a minha primeira história de amor, Peter. Por favor, só não deixa acabar ainda. - Pág: 7

OIEEE!!!

No início do ano fiz a resenha de To All The Boys I'Ve Loved Before. Li no final do mês passado o último livro da trilogia – coisa mais LINDA gente!!! - e vou resenhar para vocês hoje o segundo livro, P.S. I Still Love You, e na próxima quarta Always And Forever, Lara Jean.

Eu amo os livros da Jenny, adoro a forma como ela apresenta a história, como os personagens delas são e como ela de alguma forma faz com que nos identifiquemos com eles. Sem falar que ela sempre aborda temas atuais em meio a um monte de fofices, o que é uma característica dela. Quem a acompanha nas redes sociais percebe que ela é uma mulher muito fofa e conseguimos ver a identidade dela em seus personagens assim como vemos a semelhança de uma mãe e um filho.

Às vezes, gosto tanto de você que não consigo suportar. É um sentimento que vai crescendo e crescendo dentro de mim, e parece que vou explodir.- Pág: 10

Em Para Todos os Garotos que Já Amei, Lara Jean foi surpreendida por todas as suas antigas paixões recebendo suas cartas de amor, aquelas que ela escrevia quando queria deixar de amar alguém, como se fossem cartas de despedida de um amor. Ela recupera as cartas que não deviam ter sido enviadas após alguns esclarecimentos e conversas constrangedoras, mas em contra partida ela acaba se apaixonando novamente por Peter, um dos seus ex-amores.

Peter foi um garoto por quem ela se apaixonou ainda novinha, era um amor infantil e muito inocente, mas que significou tanto para ela que resultou em uma carta. Mas, após toda aquela trama de fingir ser sua namorada para enganar seus outros ex-amores ela percebeu que ele era alguém especial em sua vida e que o queria por perto, mesmo sem saber bem o que sentia por ele. Tudo acontece de maneira muito rápida e nova para os dois, o que faz com que eles vivam as inseguranças de se apaixonar na adolescência.

Lara Jean, acho que você meio que se apaixonar por cada pessoa que conhece. É parte do seu charme. Você está apaixonada com amor. - Pág: 213

Peter sendo o cara mais bonito e popular da escola pelo o qual todas as garotas babam e nutrindo ainda uma grande amizade com sua ex, Genevieve, que a alguns anos foi melhor amiga de LJ, faz com que a nossa protagonista sente-se perdida e sem saber como lidar com isso, se deve realmente entregar seu coração a ele e confiar que ele não vai quebra-lo.

Acompanhamos também, Laranjinha enfrentar a falta que Margor faz em sua vida, seus medos em relação a solidão do pai e seu grande amor por sua família, suas desavenças com Genevieve e o bullying cibernético que estar sofrendo por causa do vídeo intimo dela que se espalhou pela internet. Mas, em meio a tudo isso ela começa a aprender a se soltar mais, se diverti e a se entregar aos seus sentimentos.

Percebo agora que são as pequenas coisas, os pequenos esforços, que mantêm um relacionamento. E sei também que, de certa forma, tenho o poder de magoá-lo e também de fazê-lo se sentir melhor. - Pág: 176

Como no primeiro livro, Han consegue transmitir uma leveza na escrita ao mesmo tempo que nos transporta para o passado, não dá Lara mas, sim o nosso fazendo com que sentimos a intensidade que vivemos nesse período. Todos os sentimentos de se apaixonar pela primeira vez, medos, inseguranças, confusões, diversão, amizades, enfim, todos aqueles sentimentos que tínhamos volta e passamos a ter aquela intensa fé que teremos tudo da maneira mais feliz possível. Tudo isso de forma coesa, que não nos cansa ou irrita, pois até os mais banais erros de LJ conseguimos compreender, pois já os vivemos.

Se vemos os personagens amadurecer no primeiro livro, nesse percebemos isso muito mais. Em meio a todos esses dramas que Lara está vivendo também a vemos perceber que os erros nem sempre são de todo ruim e aprendendo a se descobrir e valorizar, dando mais prioridade a si. E claro, com isso acabamos aprendendo com ela.

Eu sei que foi apenas um dia na vida de Peter para você, mas para mim isso significava muito mais, e é isso que me assustou. Não apenas o que as pessoas estavam dizendo sobre isso, e sobre mim, mas em tudo isso que aconteceu. - Pág:7

O fato da autora falar sobre bullying cibernético e uma característica que eu gostei muito. É algo muito comum hoje em dia as pessoas terem suas vidas intimas divulgadas e sofrerem pesado as consequência disso – infelizmente. Lara que sempre foi uma menina correta, simples e que nunca esteve nos holofotes sofreu muito com todo esse assedio e constrangimento, mas recebeu apoio da família e amigos para enfrentar a situação e dar a volta por cima.

Bom, temos nesse livro um triangulo amoroso o que não é a minha parte preferida dele, mas, que não prejudicou em nada. A escrita de Jenny se manteve a mesma do primeiro, os personagens continuaram encantadores fazendo com que nos apaixonemos ainda mais por eles. Vemos muitas reflexões pela história o que deixa ela ainda mais gostosa, sem contar seu clima leve, envolvente e divertido com aquele quê de emoção o que é a marca da autora em suas histórias fofas.

Não há nenhuma maneira de se proteger contra o desgosto, Lara Jean. Isso é apenas uma parte da vida. Pág: 182

A capa e lindinha como as outras duas e a diagramação do livro estar impecável, como é de costume dos livros da intrínseca.

Falando em intrínseca, como em Para Todos os Garotos que Já Amei, nesse ela está fazendo algo diferente para os leitores. Dessa vez ela permite que, como Lara, criemos scrapbooks. Funciona da mesma forma que as cartas que expliquei para vocês no primeiro post. Eu que adoro fazer scrapbooks AMEIII a ideia e assim que tiver um tempinho farei o meu e se você quiser fazer o seu ou vê os que outros leitores fizera, aqui estar o link.

Como vocês já devem ter notado eu amei o livro e super indico. Me identifico muito com a Lara em algumas coisas, ela me traz um sentimento de familiaridade enorme. Adoro o Peter, e como ele é um amorzinho sem chegar a ser um clichê de romances com garotos populares. Gosto como os personagens secundários são bem trabalhados e participam da história de forma que nos faz conhece-los e não só para tampar buracos. Então quem não leu ainda, leia. Jenny Han arrasa e te garanto que em uma sentada você já vai ter acabado e se emocionado. Não só por causa da história e de todos os turbilhões de sentimentos que Lara enfrenta durante seu amadurecimento, mas pela nostalgia de relembrar quem você era e o quanto amadureceu.

Espero que tenham gostado da resenha. Semana que vem eu volto com a resenha do último livro dessa trilogia linda.

Grande beijo!!!

“Quando você é Real você não se importa de ser ferido. - Pág: 232”


Nenhum comentário :

Postar um comentário