Resenha: Os Caçadores de Lendas - Darkmouth

Título Original: Darkmouth – Os caçadores de Lendas (#01) | Autor: Shane Hegarty
Editora: #irado/ Novo Conceito | Páginas: 336 | Ano: 2017 | Gênero: Infantojuvenil
Elas estão chegando! As Lendas (ou melhor, monstros aterrorizantes que se alimentam de humanos) invadiram a cidade de Darkmouth. Elas querem dominar o mundo. Mas não entre em pânico! Finn, o último dos Caçadores de Lendas, vai nos proteger. Finn tem doze anos, adora animais, não leva muito jeito para lutar; mas é muito, muito esforçado. E todos nós sabemos que ser esforçado é a melhor arma contra um Minotauro faminto, né? Hum... Pensando bem, pode entrar em pânico. Entre em pânico agora! Corra!
📚Livro cedido pela editora Novo Conceito

Olá, pessoas! Como vocês estão?

Deixa eu fazer uma pergunta?! Estão procurando uma leitura leve, descontraída, divertida? Acho que tenho algo aqui para recomendar. Minha recomendação é Darkmouth - Os Caçadores de Lendas, livro ao qual vou falar um pouquinho hoje.

Essa é a primeira edição da série Darkmouth  do irlandês Shane Hegarty. O livro foi publicado no Brasil pela editora Novo Conceito no seu selo #irado.


Imagine um lugar parecido com a Irlanda, com pessoas normais, crianças, escolas, vizinhos entrometidos e tudo mais. Uma cidadezinha como qualquer outra. Pelo menos, até que vez ou outra abre-se um portal de onde todos os tipos de monstros malignos saem, na tentativa de transformar essa cidadezinha pacata em um verdadeiro caos. Esta é Darkmouth.


Mas o que impede esses monstros de fazê-lo? Nada mais, nada menos que Finn. Um garoto de 12 anos que carrega o legado muito grande de ser um "caçador de lendas" e que por isso vive uma vida solitária e rígida de treinamentos e testes dolorosos e tediosos.

O livro mostra a dores que o protagonista tem que enfrentar socialmente, por ser considerado um perdedor, ser rejeitado por pequenos erros de rotina - como uns carros danificados aqui, uns barcos partidos ao meio ali. Mas, sejamos francos: Ninguém é perfeito, nem mesmo aquele que devia ser o herói de todos. E o erros são formas de aprendizados, não é?!

Além de ter toda essa cobrança dos moradores, Finn também encontra cobrança em sua casa já que seu pai, Hugo, o submete a uma rotina rigorosa de treino que não lhe deixa tempo para ter amigos. Não que tenha uma fila na porta de sua casa de pessoas querendo sua companhia para algo que não seja bater nele....

Bom, pelo menos ninguém até a chegada de uma nova garota na cidade. Emmie  acha ele o ser mais legal e corajoso dali. Ela é a primeira pessoa que Finn realmente deixa se aproximar dele e ele começa a ver as coisas melhorarem para ele, bom, pelo menos por um tempo.

Até que seu pai chega com a notícia que terá que passar algumas semanas longe da cidade devido a uma promoção, e recai sobre o Finn tomar conta da cidade sozinho durante sua ausência.

Uma coisa que vocês precisam saber sobre o garoto, ele não gosta de ter seu destino traçado e da necessidade de se tornar um Caçador, assim como seu pai. Ele tem uma enorme dificuldade para aprender a lutar e usar as armas dos Caçadores – um Dissecador, arma usada para reduzir os maiores dos monstros , sorry! que dizer, as maiores das Lendas em nada mais que uma “bolinha”.

Mas, Finn também não leva o jeito pra essa coisa de lutar, atirar primeiro, perguntar depois. Ele tem um coração muito bom, além de se muito curioso e adorar bichinhos. Conviver na sombra do pai prodígio torna as coisas ainda mais difíceis para ele. Principalmente quando Finn começa a perceber que existem muitas coisas sobre ele mesmo e a família deles que o seu pai sabe e não quer lhe contar.

Nesse primeiro livro da saga, o estilo de escrita de Hegarty é ao mesmo tempo engraçado, irreverente e viciante. Ele consegue trazer a imagem de um mundo que é vívido e entendido por um garoto de 12 anos. É fácil ser levado pela história, principalmente porque as ilustrações que encontramos pelas páginas acrescentam uma camada extra de diversão a leitura.

A narrativa começou com um ritmo lento, com o autor apresentando detalhes do seu universo, mas como os capítulos são bem curtinhos isso facilitou a leitura. Lá pelo meio do livro as peças começam a se encaixar e as engrenagens começam a funcionar, formando uma história rica em detalhes e deixando diversas dúvidas que fazem gente querer saber ainda mais sobre os Caçadores de Lendas da cidadezinha peculiar que é Darkmouth.

Um livro que entrega o que promete, uma aventura juvenil cheia de ação e divertimento. Liberdade, legado e destino são temas que vemos muito em filmes, livros, ou até mesmo na vida de muitos adolescentes, tendo eles que caçar monstros antes de ir para a escola ou não. Finn é um personagem muito carismático, o enredo é leve e divertido repleto de momentos que me arrancaram boas risadas.

A narrativa toda é bastante hilária, mesmo que Finn não faça o tipo bem-humorado, muito pelo contrário, ele usa de tiradas sarcásticas para esconder o mau-humor e a frustração que a “carreira” de caçador causa nele. Finn prefere ajudar e ele se pergunta algo que nunca foi do interesse dos caçadores, o porquê de as Lendas atacarem. Ao passar das páginas nós, leitores, vamos tendo uma percepção de que esse é realmente um questionamento muito importante.

É um livro com questionamentos e fantasias. Eu gostei e acho que vocês também vão.

Curiosidade: Nas minhas pesquisas sobre o livro achei um jogo sobre ele. É, isso mesmo, um jogo. Ainda não tive a oportunidade de jogar, mas vou deixar o link aqui para àqueles que quiserem conferir. Esse site além de ter o jogo, também tem muitas informações sobre a série e seus personagens com muitas ilustrações e animações, não perdendo o espirito que o livro nos passa.

Espero que tenham gostado da resenha de hoje. Um grande beijo e até a próxima!!


20 comentários

  1. Oi Suene!
    Esse livro parece ser bem indicado pra quando você quer sair daquela ressaca literária rsrs Gostei muito do Finn *-* achei legal ter misturas de lendas e fantasia.
    Obrigada pela dica :)

    ResponderExcluir
  2. Oii
    Eu estou bem por fora sobre os lançamentos da editora, mas adoro os livros do selo Irado e é claro que ja fiquei bem curiosa quanto a esse título. Gostaria muito de ter a oportunidade de conferir também, ainda mais por ser um genero que eu amo e em especial por conta dos elementos comentados em sua resenha. Legal saber sobre o jogo, é uma interação e tanto.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi. :)
    Aventura e fantasia é comigo mesmo! <3
    Não conhecia a obra, mas adorei a saber a sua opinião.
    Fiquei bem curiosa pq é um gênero que adoro, preciso conhecer a estória do Finn a fundo.
    Adoro personagem sarcástico que tira sarro de seus próprios problemas, isso só acrescenta boas risadas. Já ganha pontos comigo de cara.
    Adorei sua resenha flor, parabéns.
    As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Já vi esse livro por aí, mas por ser de fantasia (ultimamente tô fugindo desses), passei longe e sua resenha é a primeira que leio.
    Adorei saber sua opinião e que você tenha gostado, mas vou passar sua dica dessa vez!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Faz tempo que não leio uma aventura juvenil assim, vibrante e bem feita e seus elogios me deixaram com vontade de ler o livro o mais rápido possível.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Esse não é o tipo de livro que procuraria, mas parece bom para renovar os ares depois de um livro bem dramático e que nos drena as emoções, rs
    Gostei da sua resenha, passou pelas palavras um tanto do que podemos esperar com essa história.

    Abraços

    http://livrosagogo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem?
    Realmente não é meu tipo de leitura.
    Parece ser um livro bem infanto-juvenil, pela narrativa e tudo mais, com monstros e afins. Passo a dica ^^

    ResponderExcluir
  8. Olá Suene,
    Sei que não sou o público alvo desse livro, mas acho a premissa dele muito bacana, principalmente, por ver que o autor construiu a história muito bem. Acho normal livros desse estilo começarem mais lentos e fiquei contente por fluir rápido por contas dos capítulos.
    Achei bem legal a questão do jogo.
    Vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Esse livro não faz bem meu gênero de leitura, mas como você mesma disse ele é leve e divertido, uma combinação maravilhosa enwie sempre devemos ter em mãos para aliviar a tensão entre uma leitura mais complexa e outra. A trama em si não me atrai, mas também não me de pelo, eu até o leria, mas confesso que não tenho anseio de comprá-lo caso ganhe um exemplar algum dia certemanete farei uma chance a história do Finn.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Achei a proposta do livro muito bacana, principalmente porque foge do clichê do menino aceitar o chamado para ser o novo caçador de monstros. O fato de ele ser completamente inapto para a função e ser péssimo nos treinamentos deve ser bem engraçado até, afinal sempre esperamos que por mais jovem que o protagonista seja ele siga a jornada do herói.
    Adorei sua resenha e pelo jeito mesmo sendo um infanto-juvenil a história é muito bacana e gostosa de acompanhar

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu realmente não leio livros do estilo infantojuvenil, já tentei, mas não me atrai nenhum pouco a atenção. A premissa da história é muito boa, essa do garoto ter o legado de caçador de lendas é bem criativo. Achei bem interessante o fato de ter um jogo dele, acho que é mais facil para mim procurar mais sobre o jogo do que o livro, haha. Mas a sua resenha está linda. Obrigada pela dica ♥
    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. oie!
    Eu gosto de fantasias, mas ainda não me interessei pela história.
    Mesmo a trama sendo bem interessante, sabe quando ainda não te conquista? Que não chama a tenção?
    Mas vou anotar a dica, quem sabe mais para frente eu mude de ideia.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  13. Oi, Suene

    Que legal que você até favoritou o livro. Eu já tive a oportunidade de ler outras resenhas também e acho o enredo do livro muito rico, mas infantojuvenis não funcionam mais pra mim, gosto de coisas mais densas e maduras. Mas acho que meu sobrinho, que até resenha pro meu blog, poderia curtir.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Eu já li algumas resenhas por esse livro, mas, apesar de gostar muito de fantasia, esse ainda não conseguiu prender meu interesse.
    Parece ser uma leitura mesmo bem leve e agradável, porém, ainda me parece um pouco juvenil demais. Não sei se é o tipo de livro que procuro no momemnto.
    No entanto, os elogios que você fez e o fato de se tratar de um livro de fantasia, leve e com personagens carismáticos, fazem com que eu não descarte a possibilidade de ler.
    Gostei muito da sua resenha e vou deixar a dica anotada para um outro momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro ou algo a respeito, então vim totalmente cega para sua resenha e apesar de não gostar muito de livros (infantojuvenis) adorei a premissa desse!

    Parece ser uma leitura bem leve e saber que Finn tem um tom sarcástico que chega a ser engraçado, me deixou bem curiosa para ler esse livro! Ótima resenha!

    Beijos
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Não conhecia este livro, mas pela sinopse e a premissa parece ser uma trama bem divertida e com personagens bem diferentes né, parece ser muito legal. Apesar de não curtir histórias nesse estilo, acho que seria uma leitura agradável. Ademais, sua resenha ficou ótima, muito bem escrita e objetiva!

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Pelo que pude perceber da sua resenha,a trama é bem infanto-juvenil mesmo, não é? E por isso mesmo eu adorei! Sou uma imatura incorrigível e adoro essas traminhas. Eu estou lendo uma série muito parecida com essa, Desafio de Ferro, da Holly Black e Casandra Clare, também publicada pelo selo #Irado. Segue no mesmo estilo, uma trama leve, irreverente, divertida e cheia de aventuras. Recomendo. Adorei sua dica e vou atrás desse livro aí, quero conhecer melhor esse rapazinho.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  18. Oi! Tenho esse livro aqui, mas ainda não tive a oportunidade e tempo para lê-lo, o que espero poder fazer em breve ainda mais depois dessa resenha que mostrou que mesmo com um genero infanto-juvenil apresenta uma história importante e com uma valiosa lição. Imagino o quão difícil é ver sua vida ser traçada sem você ter direito de escolha e não poder ter ninguem ao seu lado para contar é um saco, que bom que finalmente alguém chega para estar lá para ele e o valoriza-lo. Ansiosa para conhecer mais sobre o desenrolar da trama e espero poder gostar tanto quanto você, realmente é uma obra ideal quando se quer algo leve, mas sem ser banal!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e confesso que não estou lendo muito esse tipo de histórias, mas fiquei curiosa com essa sua dica. A premissa é bacana e eu gosto de histórias divertidas, além disso gostei do protagonista, ele parece ser bem cativante.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  20. Oiee ^^
    Eu até que gosto de histórias divertidas, mas juvenil não é comigo. E livros com outros mundos ou outros universos não conseguem atiçar muito a minha curiosidade, então acho que não leria este. Mas fico feliz que tenha gostado (apesar do começo lento) :)
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir