Editora Phantom

Saudações literárias! Tudo bem com vocês, leitores? Hoje vamos trazer uma Editora que está despontando no mercado editorial e fazendo uma grande diferença para publicar e valorizar os nossos queridos autores nacionais. Vamos conferir? 


A Editora Phantom chega ao mercado literário com experiência, solidez e visão de futuro. Tem como diferencial uma equipe composta por profissionais da área: autores, docentes de língua portuguesa e designers, todos empenhados em levar ao mercado o melhor da literatura nacional, possibilitando tanto ao autor iniciante como ao experiente, ter para sua obra o máximo em qualidade editorial e gráfica. A Editora Phantom tem duas certezas: produzir livros de qualidade e proporcionar constante suporte ao autor. 

Vinda do idioma inglês, a palavra phantom significa fantasma, e representa uma forte figura clássica, a qual remete a algo misterioso, fantasioso, que impinge um medo “a ser superado”. Tivemos como inspiração o romance O Fantasma da Ópera, escrito por Gaston Leroux em 1909. A obra é sinônimo puro da arte literária, bem como de tantas outras como a teatral, musical e cinematográfica. Portanto, traduzimos Phantom como sendo arte literária de qualidade e desbravamento inerente tanto ao autor como ao leitor, uma vez que ambos almejam — ao seu modo — desvendar os segredos e mistérios de uma boa história. Ler é preciso. Revele o que há além... 

 A Editora Phantom foi criada para viver no hoje e no amanhã. Com o tempo teremos nossos livros em livrarias físicas e em feiras e eventos como a Bienal do Livro. Nosso trabalho é avançar e evoluir, sem medo e com muita confiança. Acompanhe nosso trabalho, nossas redes sociais e nosso site, e encontre as novidades da Editora Phantom. 

Títulos Publicados; 

Os livros da Editora Phantom são preparados por profissionais, todos especialistas em suas áreas, como: editores, revisores, ilustradores e diagramadores. Publicamos livros com qualidade e excelência em conteúdo, visando nichos e públicos específicos no mercado, encontre o seu. 

Você conhecerá nesse livro um garotinho alegre, esperto e muito observador chamado Gabriel. A forma como esse garotinho enxerga o mundo, as emoções e as pessoas ao seu redor é algo muito curioso: tudo é visto de uma maneira nova e incrível, com muitas cores surgindo por todos os lados. Venha conosco conhecer as cores de Gabriel nessa grande descoberta e, no final, mostre as cores do seu mundo também! 









Escrito num longínquo 2003, “Abril” é um livro de contos produzidos exatamente durante os 30 dias do mês de abril de 2003, um conto por madrugada, num projeto-desafio do autor para si mesmo. Em 27 de abril, por exemplo, temos “o doido”, conto premiado no Mapa Cultural Paulista, levando o primeiro lugar nas fases municipal e regional. Trata-se da história de um garoto estigmatizado pela sociedade, tido como fora dos padrões convencionais de comportamento. Seria ele mesmo o doido, voando livremente de braços abertos, pelas ruas do centro da cidade, flanando entre aquelas pessoas sem expressão, amareladas e mecanizadas? Quem para e reflete sobre essa pergunta é um narrador ocupadíssimo, estafado por suas obrigações cotidianas no trabalho e suas responsabilidades ordinárias junto à sociedade. Quem é o doido, afinal? Há histórias divertidas, outras extremamente introspectivas, todas muito bem marcadas com o estilo inconfundível do autor, temperadas com os sabores daquelas inesquecíveis madrugadas de abril... 
A vida do jovem Mordrel Tridius Legard está prestes a mudar para sempre. Após o improvável sumiço de um paladino da Guarda Sagrada de Nistia, ele é escolhido para uma perigosa investigação no árido Reino do Norte, região inimiga, onde o Alto Conselho que o convocou, sabe, foi o último paradeiro do desaparecido. Deixar para trás sua terra e arriscar-se no norte em nome de seu sonho em oficializar-se paladino da Guarda Sagrada, não é nada comparado às conspirações divinas e políticas que, sem saber, o cercam em sua jornada. Mordrel se vê obrigado a seguir com uma missão mortal, resignado na fé e na lealdade à pátria e ao Conselho Clerical, que vê nele, a ferramenta ideal para a consolidação de seus planos e a consumação de uma vingança forjada há muitas décadas. Ódio, segredos, tradições e os mais vis desejos de poder são revelados neste jogo disputado pelo Grão Sacerdote e seu mais sábio e ambicioso clérigo. Será Mordrel o fiel da balança para os escusos objetivos de seus próprios senhores? Será sua fé e sua lealdade os motivos de seu tormento? 
Siga nas redes sociais: 




Nenhum comentário :

Postar um comentário