Resenha: O pêndulo de Foucault

Título: O pêndulo de Foucault 
Título Original: Il pendolo di Foucault 
Autor: Umberto Eco 
Editora: Record 
Páginas: 672 
Ano Lançamento: 2016 
Sinopse: Um dos romances mais famosos de Umberto Eco ganha reedição com novo projeto gráfico de capa e miolo. Casaubon, Belbo e Diotallevi são redatores da editora Garamond, na Milão do início da década de 1980. Cansados da leitura e releitura de incontáveis manuscritos de ciências ocultas, eles acabam encontrando indícios de um complô que teria surgido em 1312 e atravessado, encoberto, toda a história do planeta até o fim do século XX. Os agentes e beneficiários dessa trama secreta seriam os templários e os rosa-cruzes, cujo objetivo maior era dominar o mundo. Em O pêndulo de Foucault, Umberto Eco aborda questões contemporâneas como a emergência do irracionalismo high-tech, as síndromes do final do milênio, o mundo dos signos e os segredos da História. Aliando a tudo isso muito suspense, ocultismo e crimes misteriosos, Eco é ao mesmo tempo erudito e bem-humorado. 

Análise: 

Uma reedição incrível! Mais uma vez a Editora Record mandou ver em publicar esse livro do Umberto Eco. Antes de partir para a resenha, já vou partir para o trabalho gráfico e de edição. O livro é pesado, tem quase 700 páginas e possui uma diagramação incrível, arte da capa ficou fantástica, um ar do século passado. Muitos leitores e até mesmo a critica considera esse um dos romances mais famosos do autor. 

A obra, narra história de três amigos, sendo eles; Belbo, Diotallevi e Casaubon. Os três amigos trabalham em uma editora e recebem um manuscrito para publicação sobre Os Templários.
“Naquela época não dramatizei demasiadamente o problema, mas sábado à noite pensava que tudo dependia das correntes telúrgics e que o Pêndulo lhes ocultasse segredos. Pág 175.” 
Aviso aos leitores! Esse livro exige uma atenção muito grande, pois ele tem vários e até mesmo detalhes que fazem toda diferença, a obra busca aquele lado do ocultismo e segredos que são guardados a sete chaves, vi uma semelhança com os livros do Dan Brown e um conhecido meu falou que esse livro lembraria as obras e aventuras de Robert Langdon.
“Belbo me havia mostrado a enciclopédia. Ainda há pouco eu etava dando uma de paternal: mas na verdade nenhum de nós é inocente. Pág 263.” 
O ponto culminante do livro é um livro escrito por Ardenti ( livro de um livro, meio confuso não é mesmo rs?), mas é a partir desse livro que tudo começa a se desenrolar em uma trama bem complexa e ao mesmo tempo inimaginável. Nesse momento que exige uma atenção dos leitores. 

Umberto Eco tem uma escrita bem apurada, em alguns momentos algo corriqueiro e sem nenhuma pretensão, em determinadas parte do livro, nota-se aquele ar de deboche e ironia entre os personagens principais, outro ponto forte são os personagens muito bem construídos e dinâmicos. 
“Alguma coisa me rondava a cabeça, algo que tinha a ver com a minha velha tesa. Passei a noite seguinte a revirar meus arquivos. Pág 440.” 
Vale a pena a leitura? No meu ponto de vista sim. Li a obra em uma semana, no começo achei um pouco difícil, mas com o tempo todo aquele plano de fundo cheio de mistérios começa a fluir. Na rede social Skoob o livro recebeu avaliação de 4.0


10 comentários

  1. Olha, eu custei terminar essa leitura. Escolhi o momento errado para ler, época de provas, e acredito, também, que esse não é um dos meus gêneros literários favoritos. Foi sofrido para eu entender as referências. Mas que bom que você gostou, porque não é um livro pequeno! Rsrs.

    Beijinhos, Hel - Leituras & Gatices

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rafael, tudo bem? Que resenha bacana! Bem completa e conseguiu me deixar interessada pela leitura. Nunca li nada do autor e pretendo começar por O Nome da Rosa, pois assisti o filme na faculdade e gostei muito. Mas já anotando sua dica!
    Beijos!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie

    Vale muito a pena essa leitura!!
    Realmente um excelente trabalho da editora em uma reedição maravilhosa.
    Sua resenha ficou perfeita!

    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ual que livro, que premissa e capa lindas, eu gostei bastante tanto do livro quanto da sua resenha ficou maravilhosa, soube me deixa mega curiosa para ler o quanto antes.


    BEIJOS

    ResponderExcluir
  5. Oiii Rafael, tudo bem?
    Confesso que sua resenha me deixou bem curiosa mesmo, sou completamente apaixonada pela forma do autor escrever, já tive oportunidade de ler apenas uma obra dela e realmente acredito que quase todas precisam de atenção, porque né! Leria com toda certeza essa obra, dica anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oi, confesso que o livro não me atraiu nem um pouco, e mesmo sendo do celebrado Umberto Eco, eu não leria, por não me cativar a ponto de querer saber da historia e da trama, por isso, dessa vez, deixo passar a dica.
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Mesmo com a resenha maravilhosa o livro não me chamou muita atenção, o tema não me enxeu os olhos mesmo esse livro tendo até sido indicado pelo meu professor da faculdade, haha, mas talvez um dia eu o leia em prol do estudo.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, Rafael! Não conhecia a obra, mas mesmo lendo sua resenha, não me interessou realmente. Não é nem por ser um livro com muitas páginas, mas é que fico um pouco perdida se eu não sei muito sobre o autor ou se eu tenho mais opiniões formadas, entende? Claro que eu poderia me jogar na leitura e aproveitar, mas por ser algo que não estou procurando no momento, não creio que a leitura iria ser prazerosa.
    Abraços e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Tudo bom?
    O livro parece ser muito bom, fiquei bastante curiosa!
    700 paginas? Nossa, livros grandes assim eu prefiro ler pelo Kindle, na verdade eu geralmente prefiro ler pelo kindle...
    Vou esperar para ler quando eu tiver férias, esse parece ser um daqueles livros que vc só larga quando acaba!
    Adorei a resenha
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. oi, apesar de ter gostado muito de sua resenha, não parece ser o gênero literário que eu goste.
    Gosto de livros que a leitura flui, que você entra na história naturalmente... Não sei se conseguiria prestar a atenção necessária pra não perder nenhum detalhe.. rsrs

    ResponderExcluir