Resenha: Ódio, amizade, namoro, amor, casamento

Título: Ódio, amizade, namoro, amor, casamento 
Título Original: hateship, friendship, courtship, loveship, marriage 
Autora: Alice Munro 
Editora: Biblioteca Azul 
Páginas: 360 
Ano Lançamento: 2013 

Sinopse: As nove histórias reunidas em Ódio, amizade, namoro, amor, casamento, funcionam como retratos. Retratos de um momento da vida das personagens – e esse momento pode ser uma despedida ou um reencontro; retratos de um traço particular dessas pessoas, apreendido no instante exato de uma má escolha ou uma boa intenção; retrato de uma porção da memória que, por vezes, é buscada com um grande esforço e, em outros, se esvai na cabeça fraca da idosa ou nas lembranças levianas da menina que não reteve mais que um sentimento de excitação de todo um verão. Esses contos, se são sobre o cotidiano, não são nada banais. O primeiro, que dá nome à obra, relata a história de Johanna Parry, uma mulher simples e sem ambição que, por um engano, se coloca diante de um futuro com que nunca sonhou; em Ponte flutuante, Jinny recupera-se de grave enfermidade enquanto se deixa seduzir por um adolescente, em momento de inigualável poesia; Mobília de família resgata, aos olhos de uma escritora, a personalidade de uma tia que foi definitiva na sua infância; no belíssimo Conforto, Nina se despede do marido, na busca da compreensão profunda de seu ato de adeus; o encontro das memórias de duas personagens acerca de um verão, seus dramas posteriores e o fundo em comum que os une é tristemente o cenário de Urtigas; em Coluna e vigas, uma jovem mãe aprende a lidar com expectativas alheias sobre si mesma, e a importância da negociação; O que é lembrado é um comovente e sarcástico exercício de memória. 

Análise: 

O cotidiano retratado em vários contos, escrito pela ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura em 2013, Alice Munro recria o estilo de vida de cada personagem passando por diversas épocas e culturas. São contos extensos, porém de uma singularidade e eloquência na narrativa, que encanta qualquer leitor. 
Na igreja tomara a precaução de não falar com Sabitha primeiro, logo, Sabitha não poderia falar com ela. Pág 63
Munro tem uma leveza em sua escrita, molda cada um dos personagens tornando-se únicos com suas personalidades marcantes. Os contos variam de até quarenta páginas, uma leitura fluída e bem envolvente, prendendo o leitor logo no início do primeiro conto. 
Em Hope comeram hambúrgueres e tomaram milk-shakes. Depois, quando desciam o vale Fraser, as crianças adormeceram no banco de trás. Pág 236
O leitor se vê envolvido com os diferentes contos e suas tramas, variando do engraçado ao trágico. A obra tem uma excelente diagramação, bons espaçamentos e o tamanho da fonte estão muito bem adequados até para se ler à noite. Contos incríveis de uma autora espetacular, na rede social Skoob o livro recebeu avaliação de 4.1.


Nenhum comentário :

Postar um comentário