Literaturiando: Compositores e Os Miseráveis

Saudações literárias, queridos livreadores! Tudo bem com vocês? Espero que sim e com muitos livros lidos nessa semana. 

Falando em livros, começamos a semana com uma leitura dupla, Tammy e o Rafa estão lendo o grande clássico mundial "Os Miseráveis" do autor Victor Hugo, esse sim é um livro gigantesco!! Na minha edição tem quase 1500 páginas. 

Sendo um livro clássico, nada mais justo que fazer um post falando dos grandes compositores do século XIX, pesquisando um pouco mais pela internet encontrei oito grandes compositores que são eles: Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven, Chopin, Tchaikovsky, Felix Mendelssohn, Liszt, Grieg e Brahms. Procurei aproximar com a data do qual foi lançado o livro e esses grandes compositores marcaram no início século XIX com suas memoráveis e duradouras obras musicais e todo aquele inicio da Era do Romantismo. Vamos conhece-los um pouco mais?



Ludwig van Beethoven (Bonn, batizado em 17 de dezembro de 1770 — Viena, 26 de março de 1827) foi um compositor alemão, do período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e o Romantismo (século XIX). É considerado um dos pilares da música ocidental, pelo incontestável desenvolvimento, tanto da linguagem como do conteúdo musical demonstrado nas suas obras, permanecendo como um dos compositores mais respeitados e mais influentes de todos os tempos. "O resumo de sua obra é a liberdade", observou o crítico alemão Paul Bekker (1882-1937), "a liberdade política, a liberdade artística do indivíduo, sua liberdade de escolha, de credo e a liberdade individual em todos os aspectos da vida".
Frédéric François Chopin, também chamado Fryderyk Franciszek Chopin (Żelazowa Wola, 1 de Março de 1810 — Paris, 17 de Outubro de 1849), foi um pianista polonês radicado na França e compositor para piano da era romântica. É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. Sua técnica refinada e sua elaboração harmônica vêm sendo comparadas historicamente com as de outros grandes compositores, como Mozart e Beethoven, assim como sua duradoura influência na música até os dias de hoje.
Piotr Ilitch Tchaikovsky (em russo: Loudspeaker.svg? Пётр Ильи́ч Чайко́вский, por vezes, traduzido Pyotr Ilyich Tchaikowsky); (Kamsko-Wotkinski Sawod, actual Tchaikovsky, 7 de maio de 1840 — São Petersburgo, 6 de novembro de 1893) foi um compositor romântico russo que compôs géneros como sinfonias, concertos, óperas, ballets, para música de câmara e obras para coro para liturgias da Igreja Ortodoxa Russa. Algumas das suas obras encontram-se entre as mais populares do repertório erudito. Este foi o primeiro compositor russo a conquistar fama internacional, tendo sido maestro convidado no final da sua carreira pelos Estados Unidos e Europa. Como exemplo pode considerar-se o concerto inaugural do Carnegie Hall de Nova Iorque, em 1891. Tchaikovsky foi honrado em 1884 com uma pensão vitalícia pelo Imperador Alexandre III.
Jakob Ludwig Felix Mendelssohn Bartholdy conhecido como Felix Mendelssohn (Hamburgo, 3 de fevereiro de 1809 — Leipzig, 4 de novembro de 1847) foi um compositor, pianista e maestro alemão do início do período romântico. Algumas das suas mais conhecidas obras são a suíte Sonho de uma Noite de Verão (que inclui a famosa marcha nupcial), dois concertos para piano, o concerto para violino, cerca de 100 lieder, e os oratórios São Paulo e Elijah entre outros.
Franz Liszt (Doborján, 22 de outubro de 1811 — Bayreuth, 31 de julho de 1886) foi um compositor, pianista, maestro e professor e terciário franciscano húngaro do século XIX. Seu nome em húngaro é Liszt Ferenc. Liszt ganhou fama na Europa durante o início do século XIX por sua habilidade como pianista virtuoso. Foi citado por seus contemporâneos como o pianista mais avançado de sua idade, e em 1840 ele foi considerado por alguns como, talvez, o maior pianista de todos os tempos. Liszt foi também um compositor bem conhecido e influente, professor e maestro. Ele foi um benfeitor para outros compositores, incluindo Richard Wagner, Hector Berlioz, Camille Saint-Saëns, Edvard Grieg e Aleksandr Borodin.
Edvard Hagerup Grieg (Bergen, 15 de Junho de 1843 — Bergen, 4 de Setembro de 1907) é o mais célebre compositor norueguês, um dos mais célebres do período romântico e do mundo. As suas peças mais conhecidas são a suíte sinfónica Holberg, o concerto para piano e a suíte Peer Gynt.
hannes Brahms (Hamburgo, 7 de maio de 1833 — Viena, 3 de abril de 1897) foi um compositor alemão, uma das mais importantes figuras do romantismo musical europeu do século XIX. Hans von Bülow incluiu Brahms entre os "três Bs" dos maiores compositores alemães (os outros dois seriam Beethoven e Bach), e apelidou a primeira sinfonia de Brahms de "décima de Beethoven".
Wolfgang Amadeus Mozart (AFI: [ˈvɔlfgaŋ amaˈdeus ˈmoːtsart], batizado Johannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus Mozart; Salzburgo, 27 de janeiro de 1756 — Viena, 5 de dezembro de 1791) foi um prolífico e influente compositor austríaco do período clássico. Mozart mostrou uma habilidade musical prodigiosa desde sua infância. Já competente nos instrumentos de teclado e no violino, começou a compor aos cinco anos de idade, e passou a se apresentar para a realeza europeia, maravilhando a todos com seu talento precoce.






10 comentários

  1. Olá.

    Eu gosto muito de ler ouvindo música! Barulhos me incomodam, mas música e leitura fazem uma sintonia perfeita.

    Beijos,
    Mariana Baptista
    umavidaporlivro.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Nossa que legal essa sua ideia de mostrar os principais músicos, eu confesso que conhecia alguns mas lendo aqui você me apresentou a muitos outros, obrigada.
    Parabéns pelo post <3

    Beijos
    Books And Carpe Diem

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Amadeus tem um filme maravilhoso sobre ele. Eu sou viciada em música clássica, óperas e sinfonias. Amo Wagner, Brahms não faz muito meu estilo. Gosto da cacofonia de wagneriana.

    Fantástico post, conhecer música clássica, na minha modesta opinião, é fundamental para uma base sobre o que é boa música. Não acho que todos tem que gostar da mesma coisa, mas se você conhece a origem, é mais fácil decidir o que é bom e o que não é.

    Bel Góes - http://conchegohot.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi!

    Parabéns por relembrar esse clássicos tão importantes para a cultura mundial.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Eu só consigo ler escutando música se for clássica, desde que apenas com instrumentos. Diferente da maioria, como aparenta ser, tenho dificuldade em me concentrar em um livro se tiver escutando alguém cantar.
    Ainda não li Os miseráveis, mas eu quero muuuuuito. Assisti ao ultimo filme lançado, e sei que o livro é bem mais rico, mas gostei muito do filme. Indico.

    Amei seu post. Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Sabe que lendo A irmã da Tempestade ela conta um pouco da história de Edvard Grieg e a obra Peer Gynt e agora lendo sobre ele fica tão bom porque eu consigo ver a ficção com a realidade. Muito bom!!!!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  7. Oiee

    E coloca gigantesco nisso. Eu tenho na estante e espero em breve ler também.
    Achei o post show!

    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oiee!!
    Adorei o post, não tenho coragem de lê-lo por ser um livro tão extenso e cansativo eu tenho medo!!
    Mesmo assim é um clássico, quem sabe um dia não crio coragem e encaro!!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  9. Oi.

    Eu amei o post, primeiro pelo livro, Os Miseráveis é uma das histórias que mais amo, essa versão que você está lendo, estou namorando ela faz tempo, sempre penso em comprar, e nunca consigo. Quanto aos compositores, alguns dos listados conheço e ouço. Amo música clássica, sempre digo que tenho uma alma de velha, porque não conheço ninguém da minha idade que goste de Beethoven.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. oooie
    eu preciso muito ver o filme e adorei o post sobre, é sempre bom saber mais sobre essa obra

    BEIJOS
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir