Resenha: A Herdeira

AVISO: Este livro é um spoiler da série A Seleção.

Título Original: The Heir
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2015
Páginas: 390

Sinopse: Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, a filha mais velha do casal. Criada para ser uma líder forte e independente, ela nunca quis viver um conto de fadas como o de seus pais. Por isso, antes de conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, a jovem está totalmente descrente. Mas, assim que a competição começa a situação muda de figura, e Eadlyn percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto imaginava.   
O quarto livro da série se passa em Illéa após a abolição das castas, onde mesmo após a abolição existem algumas pessoas que "classificam" umas as outras. Assim, uma parte da população se revolta pois o desemprego gerado pelas pessoas que pertenciam as castas mais altas começa a tomar conta.
- No começo, todos pareciam contentes. Cada vez que removíamos uma casta, as pessoas festejavam. Apenas nos últimos anos, depois que todos os rótulos foram oficialmente apagados, as coisas saíram do controle. (Pág. 14)
Eadlyn é a futura rainha de Illéa, então para acalmar os ânimos até o rei Maxon conseguir a solução para os conflitos, eles farão A Seleção. Desta vez, 35 garotos competindo pela mão da princesa. Eadlyn é totalmente contra, quer ser uma líder independente, sem um homem para acompanhá-la, decide então planejar a saída dos candidatos, até que não sobre mais nenhum.

Após eliminar alguns candidatos que ela julga inadequados, ela começa a conhecer o restante deles e repensar sobre a decisão de eliminar todos.
Só tenho um coração, e quero poupá-lo para a pessoa certa. (Pág. 183)
Preciso confessar que Eadlyn me irritou em vários momentos, um tanto quanto diferente da mãe, ela é egocêntrica e mimada. Entretanto, eu acredito que autora tenha dado essa personalidade a ela para contrastar com a de América, afinal a princesa nasceu e viveu no palácio, não sabe como é a vida fora dali. Mas em alguns momentos ela tem os traços da mãe, bondosa, carinhosa, teimosa e firme.

Conforme a narrativa vai fluindo e certas coisas vão acontecendo, Eadlyn começa a se questionar sobre suas atitudes e seu jeito de ser. É possível perceber também, a forma como ela vai crescendo, como vai mudando o jeito de pensar.

A construção da narrativa de Kiera é incrível, foi muito bom lembrar de toda a série e os personagens anteriores, muitos anos depois e por um ponto de vista completamente diferente sobre o que está acontecendo. Embora eu tenha achado que meu exemplar veio faltando as páginas finais rsrsrs Mal posso esperar pelo próximo livro!

Recomendo aos apaixonados pela série e àqueles que não leram ainda, mas são apaixonados por distopias com um toque de romance e se arriscaram lendo até aqui, sugiro que leiam e se apaixone por mais essa distopia que está a todo vapor!

Um beijo, um queijo e até a próxima!

3 comentários

  1. Faz bastante tempo que quero ler esse livro, na realidade, desde que saiu. Estou procurando tentar compra-lo quando estiver em promoção (eu caço promoções com todas as minhas forças), mas estava desistindo de ler esse livro depois de algumas críticas terríveis a personagem principal, a filha da America e do Maxon. Porém depois dessa resenha vou procurar lê-lo o mais rápido possível. Preciso desesperadamente ter uma opinião própria sobre esse livro.
    Gostei muito do jeito que você faz as resenhas, dá pra entender muito facilmente.
    photo-and-coffee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. adoro essa serie <3 li o livro e em algumas pags implorava para acabar logo mas dps gostei, no final.. eadlyn uma bosta mesmo mass eu ate que gosto dela e tb entendi pq kiera fez ela assim
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Saudações Lady Thaysa,
    Eadlyn é realmente uma personagem complicada.Ela tem altos e baixos que nos fazem ir do amor ao ódio instantaneamente. Principalmente por estarmos acostumados com a América, que teve seus lapsos, mas era apaixonante quase sempre.
    E sobre o final: COMO ASSIM? Fiquei sem ar, e lógico, já estava aos prantos...

    Venha visitar o Castelo
    Att
    Ana P. Maia ♛
    The Queens Castle

    ResponderExcluir