Resenha: A Divina Comédia

Título Original: La Divina Commedia 
Autor: Dante Alighieri 
Editora: Publifolha 
Páginas: 364 
Ano Lançamento: 1998 
Sinopse: A Divina Comédia propõe que a Terra está no meio de uma sucessão de círculos concêntricos que formam a Esfera armilar e o meridiano onde é Jerusalém hoje, seria o lugar atingido por Lúcifer ao cair das esferas mais superiores e que fez da Terra Santa o Portal do Inferno. Portanto o Inferno, responderia pela depressão do mar Morto onde todas as águas convergem, e o Paraíso e o Purgatório seriam os segmentos dos círculos concêntricos que juntos respondem pela mecânica celeste e os cenários comentados por Dante num poema que envolve todos os personagens bíblicos do antigo ao novo testamento são costumeiramente encontrados nas entranhas do inferno sendo que os personagen principais da Divina Comédia são o próprio autor, Dante Alighieri, que realiza uma jornada espiritual pelos três reinos do além-túmulo, e seu guia e mentor nessa empreitada é Virgílio o próprio autor da Eneida. 


 Análise: 

Antes mesmo de iniciar a resenha, vou falar um pouco sobre esse livro magnifico do autor Dante Alighieri. O livro foi escrito por volta de 1304 até 1321, porém não são datas exatas. Originalmente o livro de Alighieri era conhecido como “O Poema Sagrado de Dante”, logo depois passou a ser chamado de “Divina Comédia” e mais tarde denominado como “A Divina Comédia” pelo artista Giovanni Boccaccio. 

A obra é divida em três partes sendo eles: Inferno, Purgatório e Paraíso. Os três livros que compõem a Divina Comédia são divididos em 33 cantos cada, com cerca de 40 e 50 tercetos que ao final com um verso isolado. No total são 100 cantos. A forma da escrita de Dante Alighieri é bem complexa, ele usa muita simbologia e não perdoa suas criticas ácidas com religiosos, estudiosos e políticos de sua época. 

Uma curiosidade sobre a obra, ela foi escrita em seu dialeto local, o florentino, que é uma variedade do toscano. O livro não foi escrito em Italiano, pois muitos estudiosos e cultos diziam que o italiano era uma língua vulgar e consideravam que o latim era a língua mais apropriada. Essa edição contem notas de rodapé e várias referencias da época do qual Dante viveu, facilitando a leitura. 

Os personagens principais do livro são: Dante Alighieri sendo o personagem central do livro, realizando uma jornada pelos três caminhos espirituais e junto dele segue um guia e mentor, Vergilio autor do livro Eneida, obra escrita no século 1 a.C. 

O leitor que busca por um clássico, esse livro é mais que recomendado. Na rede social Skoob o livro recebeu nota 4.1


2 comentários

  1. Gostei até a parte de você indicou o livro que contém referência, como o poema e complexo fica mais fácil a compressão. Obrigada, adorei porque e simples e bem explicado.

    ResponderExcluir
  2. Auxiliou muito no trabalho da faculdade.

    ResponderExcluir