Resenha: Meia-noite na Austenlândia

Título Original: Midnight Austenland (cortesia da editora)
Autora: Shannon Hale
Editora: Record
Ano: 2015
Páginas: 320

Sinopse: Charlotte Kinder é bem-sucedida nos negócios, mas não no amor. Tentando se reerguer após um doloroso divórcio — e ainda obrigada a ver o ex-marido se casar com a amante —, ela passa a enfrentar o mundo dos programas arranjados com homens desconhecidos. Sem esperanças, se presenteia com duas semanas na Austenlândia, uma mansão interiorana que reproduz a época de Jane Austen. Lá, todos devem se portar de acordo com os costumes da Inglaterra regencial, ou seja, homens são perfeitos cavalheiros e o espartilho é item obrigatório nos trajes de uma dama. Porém, na verdade, os homens são atores, contratados para entreter as hóspedes.Todos em Pembrook Park devem desempenhar um papel, mas, com o passar do tempo, Charlotte não tem mais certeza de onde termina a encenação e começa a realidade. E, quando os jogos na casa se mostram um pouco assustadores, ela descobre que talvez nem mesmo o chapéu mais bonito poderá manter sua cabeça grudada ao pescoço. Ao contrário do que se poderia pensar, Pembrook Park se revela um lugar intimidante, e a experiência de Charlotte passa a ser muito diferente da descrita no pacote de férias.

Em Meia-Noite na Austenlândia conhecemos a história de Charlotte Kinder, uma mulher que nunca questionava, nunca alterava a voz e sempre teve uma vida bem comum. Não foi o tipo de garota que chamava a atenção durante sua adolescência, mas enquanto crescia, se tornou uma pessoa... legal. Assim, arrumou um marido legal e consequentemente também teve um casamento legal. Ao analisar a vida de Charlotte a única coisa que vem a mente é... Que vida monótona nada legal essa, hein! Mas ela se sentia feliz, com o marido James e os dois filhos, Lu e Beckett. Até que viu sua vida mudar quando James resolveu sair de casa para morar com a amante e Charlotte simplesmente aceitou, com sua calma e tom manso.


Decidida há ter um tempo para si e superar a traição, Charlotte decide viajar e chaga em Austenlândia, um lugar encantador, localizado em um local afastado, cheio de árvores e colinas, com toda aparência do século XIX em pleno o século XXI. Ela se viu em outro mundo, com roupas, cortesia, tratamentos todos ao estilo da Regência, durante 14 dias, sua vida iria se concentrar em Pembrook Park, com todos os costumes e uma vida digna de uma personagem de Jane Austen.
"Pembrook Park, Kent, Inglaterra. Adentre nossas portas como convidado e passe duas semanas apreciando a vida no campo e a nossa hospitalidade - um chá das cinco, uma dança ou duas, um passeio no jardim, um encontro inesperado com um certo cavalheiro, tudo culminando em um baile e talvez em algo mais..." p.20
Em Pembrook Park tudo era programado para que o convidado vivesse em 1816, com bailes, família e pretendentes, logo, Charlotte agora era a viúva Sra. Cordial, irmã de Edmund Grey e possível interesse romântico do Sr. Thomas Mallery, também fez ótimas amizades com a Srta. Elizabeth Charming e a Srta. Lydia Gardenside e o humorado Coronel Andrews. Com o passar dos dias, ela vai tentando se enquadrar sem parecer estúpida, queria ser inteligente, igual às heroínas criadas por Austen.

Um mistério instigado pelo Coronel Andrrews faz com que Charlotte investigue a fundo, levando-a ao mundo gótico inspirado em A Abadia de Northanger, e através da sua impetuosa vontade de saber o final da história, Charlote acaba se envolvendo em outro mistério com direito a assassinato e desconfianças.


Eu, como grande apaixonada de Jane Austen não poderia deixar passar uma leitura assim, apesar do universo Austen ser apenas o plano de fundo, sempre é bom ler qualquer coisa relacionado a ele. Meia-noite na Austenlândia é narrado em terceira pessoa, o que nos dar uma perspectiva ampla dos personagens e acontecimentos. Charlotte é uma personagem humorada e sofre grandes transformações ao decorrer da leitura. Com capítulos alternados entre o presente na Austenlândia e o passado com memórias do casamento e divórcio, é possível perceber o amadurecimento e a nova visão que tem sobre si.
"- Aqui está você, uma aranha no cantinho, observando, tecendo sua teia de mistério.
- Ou cambaleando por aí, confusa e patética." p. 237
O mistério do assassinato que é um dos pontos centrais do livro, não me convenceu muito, não senti profundidade e pareceu que a autora o introduziu só para acrescentar páginas e ter como explicar a mudança de comportamento da Charlotte, poderia ser mais bem trabalhado envolvendo os diversos personagens que ficaram de fora da maioria dos acontecimentos. O romance, apesar de ter gostado do final, não conseguiu me envolver a ponto de torcer pelo casal. Foi bem legalzinho.

Mas o livro tem uma leitura que o faz querer ver as próximas páginas, Charlotte e seus pensamentos cômicos reservam diversas risadas durante a leitura e você chega a se empolgar quando ela realmente resolve falar tudo o que vinha guardando ao longo dos anos. Vale avisar que Meia-Noite na Austenlândia não é continuação de Austenlândia, apesar de conter alguns personagens secundários nessa história.

A leitura é prazerosa e te faz querer estar na Austenlâdia, com todo o glamour da época e cenários góticos, além de toda a cortesia cavalheiresca e diálogos inteligentes.

Até a próxima!



2 comentários

  1. Olá, tudo bem,??

    Sempre achei que era continuação de Austenlândia... Adorei a resenha! Uma pena o assassinato não ter sido tão bem explorado... Mas é maravilhoso quando a gente consegue perceber o desenvolvimento dos personagens no decorre da história né.

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com
    PS: te vejo lá no meu cantinho, né?

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tammy, tudo bem?
    Já li algumas resenhas a respeito deste livro e são todas positivas! Quero ver se leio o primeiro livro antes deste, mesmo que não seja necessário. Tenho TOC em relação à ordem de séries e tal haha
    Não seria mágico te um lugar assim aqui no Brasil? Eu iria adorar me vestir daquele jeito, ir à festas chiques, fingir estar em outro século. Eu sempre achei que deveria ter nascido bem antes mesmo haha
    Livro anotado no meu caderno.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir