Resenha: O Conto da Deusa

Título Original: The Goddess Chronicle
Autora: Natsuo Kirino
Editora: Rocco
Páginas: 288
Ano: 2014

Sinopse: Nesta releitura de um conto milenar, a aclamada escritora de romances policiais Natsuo Kirino, ganhadora dos mais importantes prêmios do gênero, deixa de lado suas tramas urbanas para recriar um antigo capítulo da mitologia japonesa: a lenda de Izanagi e Izanami. Ambientada em uma ilha mística em forma de gota de lágrima, O conto da deusa é uma trágica história de amor e vingança, que reconta o mito da criação do Japão, com a marca inconfundível da autora.
O Conto da Deusa é uma obra que saí do cotidiano que a autora costuma escrever, nunca li nenhuma das outras obras bem conhecida da Natsuo Kirino, na verdade essa é a primeira, mas fui completamente tragada para o universo narrado sobre a mitologia que cerca a criação do Japão e suas ilhas.

Boa parte dessa história é contada através de Namima (mulher em meio às ondas), uma sacerdotisa da deusa Izanami. Izanami é a deusa que governa o Reino dos Mortos, e a trajetória de Namima até se tornar uma sacerdotisa aos dezesseis anos, é o que compõe esse livro.

Namima nasceu em uma ilha que era conhecida entre os homens por Umihebi, nome de sua família. Uma ilha que tinha seus próprios ritos e costumes, era considerada a ilha aonde os deuses chegavam e partiam por ficar mais perto do sol. Sua população era pequena e se sustentavam através das pescas e plantações. Não tinham muitas riquezas, mas abençoavam os deuses pelo lugar.

Namima tinha uma irmã chamada Kamikuu. Elas sempre foram bem próximas e se amavam por demais. Sua família era a responsável por gerar o Oráculo, uma sacerdotisa que era a responsável por orar pelos homens que iam para o mar e pela benção da ilha. Sua avó, Mikura-sama era a atual Oráculo, mas em breve teria que ensinar aquela que ficaria em seu lugar. Namima não tinha ideia do que o futuro reservava para ela e viu sua vida mudar de maneira que nunca poderia pensar.

"Mas como Mikura-sama podia olhar para mim e saber que eu era impura? O que me tornava impura? Essas perguntas me afligiam, e eu estava em tamanha confusão mental que não consegui dormir naquela noite."

Por tradição a escolhida para ser o Oráculo teria que ser uma mulher e Yang, uma sacerdotisa que governa o Reino da Luz, a que nascia depois era Yin, responsável pelo Reino das Trevas onde velava os mortos, e adivinhem quem Namima era das duas? Depois de descobrir que era uma Yin, Namima ficou completamente perdida, ainda mais que escondia um segredo de todos na ilha. Ela estava apaixonada por Mahito, um rapaz da família Umigame que era amaldiçoada por não conseguir gerar uma filhar para se tornar o Oráculo caso os Umihebi fracassassem, por isso, se descobrissem o envolvimento deles, os dois seriam severamente castigados. 

A história narra toda a vida de Namima, do nascimento até se tornar sacerdotisa da deusa Izanami, a partir daí, passamos o conhecer o passado de Izanami junto com Izanagi, também chamado de Izanaki-sama, até o momento em que ela se tornou a responsável do Reino dos Mortos, cheia de rancor, ódio e desejo de vingança.

"Se dispomos apenas de uma vida, então um momento feliz é particularmente venerado."

Em O Conto da Deusa as histórias de Namima e Izanami estão completamente ligadas, durante a leitura, conseguimos entender o porquê. Izanami é uma mulher cheia de rancor e não está disposta a perdoar Izanaki pelo que fez há milênios atrás, sua sede de vingança e fúria e o que à move durante os tempos. Quando Namima chega, consegue entender a razão de Izanami ser assim e não a julga, até porque suas feridas são parecidas com a dela. E como Namima sofreu, nossa!

O livro tem uma narrativa de fácil compreensão, cada detalhe é explicado, o que faz com que o leitor, mesmo que não conheça nada sobre o Japão, não se sinta perdido. Natsuo Kirino desenvolve minuciosamente a história com intensidade, envolvem o leitor a cada parágrafo com sentimentos bem expressados. Não tem como não se comover com a história e com alguns personagens. Há também uma duplicada de sentimentos entre amor e ódio com alguns personagens, mas cada um foi delineado de maneira singular.

Para aqueles que têm curiosidade sobre a cultura japonesa e suas mitologias, esse livro é para você. Ele também traz o amor, o sofrimento e o engano a cada momento, mas com muito encanto e bem estruturado. Há algumas pontas que ficam soltas ao terminar o livro, mas nada que estrague toda a obra.

E vocês livreadores, já leram essa ou alguma outra obra da autora? O que acharam de O Conto da Deusa? Deixem suas opiniões.

Bjim! 



6 comentários

  1. Oi Tammy, não conhecia a autora e nem a obra, mas ta ai uma boa dica.
    Adoro mitologia e parece que essa é das boas.
    Adorei o trecho.
    Beijooos

    Blog Coisas da Juu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju. O livro e bem interessante pra quem gosta de mitologia. Amei o fato de o plano de fundo do livro ser a lenda da criação do Japão.
      Bjim!
      Tammy

      Excluir
  2. Oii tudo bom?
    Este livro me chamou muito a atenção, primeiramente por ser de uma autora japonesa e também por essa coisa de sacerdotiza, deusa, oráculo, etc, que eu gosto bastante.
    Fiquei bastante curioso em relação à essa leitura, vou colocar na minha lista com certeza ^^
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniel, a escrita da autora é bem envolvente e já que você gosta de todos os elementos que tem no livro, com certeza essa será uma ótima leitura pra você.
      Bjim!
      Tammy

      Excluir
  3. Oii.
    Amei a capa, mas não curto mitologias… porém, sei muito bem a quem indicar esse livro! Hahaha

    P.s. Feliz ano novo, tudo de bom para você e que seu blog faça cada vez mais sucesso. Deixei uma mensagem muito boa e reflexiva no meu blog, se quiser dar uma olhada…

    Beijos

    estantedorefugio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda, desejo o mesmo sucesso para você. Que em 2015 seja um ano de crescimento e muitas novas experiências.
      Bjim!
      Tammy

      Excluir