Resenha: Cartas do Passado - Série dos Warrington #1

Título: Cartas do Passado
Autora: Lucy Vargas
Editora: E-book fornecido pela autora
Ano: 2012
Páginas: 390
Sinopse: Recém formada, desempregada e com a conta zerada, Luiza recebe uma proposta de emprego em um castelo medieval nos confins da Inglaterra. Sem opção, ela parte de Londres com tudo que tem. O castelo vai virar um hotel e ela vai trabalhar justamente no museu arruinado dos Warrington. Tudo a sua volta grita abandono, até os antigos escritos do último dono do castelo chegarem às suas mãos e lhe contarem outra história. O conde de Havenford foi um homem sofrido e solitário. Assassinado ainda jovem, seu povo foi abandonado e seu castelo destruído. Perdida entre o presente, o passado, a vida do conde e a sua, Luiza vai aprender que a história vai muito além dos livros. Mas antes que o fim seja escrito, ela vai precisar de muita coragem para salvar não apenas a vida do conde e de todos no castelo, mas a sua também. Tenha coragem, desafie os fatos e vista as roupas da lady mais atípica que já pisou em um castelo. Prove que o amor nasce onde menos se espera e entre de cabeça nessa história. As próximas cartas podem ser para você.

Como começar uma resenha de um livro completamente apaixonante? Cartas do Passado entrou para os meus favoritos. Toda a história de época com lutas medievais e um romance que ultrapassa as barreiras do tempo, me conquistaram por completo.

Cartas do Passado conta a história de Luiza e sua trajetória até encontrar seu amado milorde Jordan D. Warrington, conde de Havenford, mas para que você entenda melhor, vamos por partes.

Luiza Campbell era formada em museologia, tinha 25 anos e foi contratada para ser digitadora e restauradora de documentos históricos que pertenciam aos Warrington, o que já era de grande sorte, já estava sem dinheiro para continuar pagando o seu aluguel em Londres e não é todo mundo que conseguia permanecer na área de formação, principalmente a sua. Ao chegar ao castelo pertencente à família, ou melhor, do que sobrou dele, encontrou um lugar bem diferente do que imaginou, cheio de reformas, sem a beleza que com certeza tinha na sua época de glória.

Atualmente a família Warrington já não existia mais, o último grande nome registrado na história foi o do conde Jordan Warrington que morreu tragicamente cedo, após isso, os remanescentes que só adquiriram o nome pelo prestígio haviam abandonado o patrimônio há séculos e não tinham dinheiro para mantê-lo, assim, decidiram fazer do castelo um ponto turístico construindo um museu e hotel.

"Luiza arregalou os olhos e sua respiração falhou, assim como o seu coração. Era simplesmente impossível." p.27

Luiza foi locada para a biblioteca do museu e começou o seu trabalho. Papéis e mais papéis para revisar e protocolar, passando horas no escritório conhecendo a história da família. A cada dia que conhecia a vida do conde, se encantava e também sentia pena pela vida que ele teve. Luiza se viu tão envolvida pela história que um dia resolveu responder as anotações do conde como uma forma de fantasia. Mal sabia ela que a partir daí, a história dos Warrington mudaria por completo. Luiza se viu completamente surpresa quando obteve a resposta de seu recado e para maior espanto, enviada pelo próprio conde e carimbada pelo seu selo real.

"Ela era real, ele também. Assim como as palavras trocadas, o significado delas e os sentimentos de quem as escreviam também eram reais." p.46

De maneira inexplicável os dois começaram a se corresponder, Luiza em 2012 e Jordan em 1423, ela se viu tão envolvida pela história que já não conseguia aceitar o fim que aquele amado conde teve. Jordan a cada novo bilhete se encantava mais pela dama misteriosa que roubava suas frutas e não lhe dizia o local onde estava e o pior, como ela sabia de coisas que acontecia no castelo se não estava lá e como recebia as cartas em seu escritório se ninguém passava pela porta para entregar?

Pela insistência de Jordan, Luiza entendeu que não teria como continuar a se comunicar com ele, pois não havia a possibilidade dele conhecê-la. Com essa decisão, Luiza sentiu como se tivesse perdido um amor, terminado um relacionamento, o que lhe rendeu muito choro. Poderiam lhe chamar de louca se contasse a alguém essa história, mas para ela, foi real o suficiente para causar sofrimento.

Luiza em meio a esse sofrimento percebeu que não poderia ficar longe do seu amado milorde e o mesmo já havia dado o ultimato ou ela iria vê-lo ou isso não poderia mais continuar. Ao pensar na perda, Luiza não viu outra saída se não tentar uma última loucura, pular pela janela que fazia elo entre o seu mundo e o mundo do conde.

"Você é exatamente como dizem que as feiticeiras da floresta são. Olhos verdes como folha, cabelo vermelho como fogo e bonita demais para a sanidade de um homem." p.90

Agora, Luiza era lady Elene de Montforth, que no momento estava em um bosque cercada de corpos medievais, mulheres mortas de maneira bárbara, banhados à sangue. Onde cavalos se aproximavam e homens com armaduras desciam de seus cavalos para ir até ela. Até que foi apresentada a Jordan Warrington, conde de Havenford.

Cartas do Passado conta uma história de época em que nem o tempo foi barreira para vivê-lo. Habituada no século XV e tendo como plano de fundo o Norte da Inglaterra, é uma história de amor envolvente e cativante que traz como personagem principal uma mulher forte e decidida, que luta pelo que quer e sabe como reinar e um homem completamente desiludido, sem descendência e que vê seu destino mudar com a chegada de Elene.

Já li outros livros da autora Lucy Vargas, como a saga dos Ward, e agora com a série dos Warrington que é com uma temática totalmente diferente dos Ward, percebo o brilho que essa autora nacional traz em sua escrita, totalmente precisa e conduz com maestria os fatos, que envolvem o leitor até a última página.

Durante a leitura ri e chorei, chorei e ri novamente. Há personagens secundários que são tão cativantes, é impossível não se apaixonar. A forma de tratamento entre Jordan e Elene/Luiza também rendem vários risos e momentos ternos. Com certeza indico o livro, principalmente para aqueles que amam um ar Londres cortês com muitas declarações de amor e guerras, porque em todo romance de época, tem que haver uma guerra para esquentar o clima, rs.

"Pois a espera desesperançada é como uma morte não revelada." p.51


4 comentários

  1. Meu Deus, como não fiquei sabendo desse livro antes?
    Ele tem todos os elementos que eu mais prezo, então, deixe-me apenas correr desesperadamente para tê-lo!

    Excelente resenha!

    The Queen’s Castle, Ana P. Maia ♛
    http://booksandcrowns.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é realmente apaixonante, Ana. Espero que aprecie a leitura o tanto quanto eu.

      Bjim!
      Tammy

      Excluir
  2. Gente, A-M-E-I esse livro! Estou morrendo pra lê- lo! Que perfeição!
    Beijos
    http://aprateleira2014.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flor, super recomendo o livro. Eu me apaixonei pela história e indico sem medo.

      Bjim!
      Tammy

      Excluir