Resenha: Não se apega não

Essa coisa de ler é um grande barato. Você lê porque se atrai pelo livro. E essa "atração" pode vir de uma capa, de uma sinopse, de uma indicação, do nome da editora, do nome do autor, de uma frase que você viu por aí... Pois é. Há várias maneiras da mágica acontecer.

Se eu contar que entrei no Skoob, vi o banner de Não se apega não, cliquei por curiosidade e me apaixonei no momento em que li "Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja", vocês acreditariam? E a paixão foi daquelas devastadoras e repentinas. Eu precisei comprá-lo o mais rápido possível.

E, agora, cá estou para contar a experiência de ler esse livro que foi amor à primeira vista ♥



Título: Não se apega não
Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Páginas: 256



Sinopse: Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.
Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar o namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal per-fei-to! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos. Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, com as tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado. Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico



Comecei a ler o livro com um pouco de medo. Tenho tendência à decepção quando coloco muita expectativa em uma leitura, mas confesso que a vontade de ler era maior que o medo de decepcionar... e acabei felizmente gostando muito.



O livro é, basicamente, um relato das experiências amorosas da personagem Isabela (que tem um pouco da Isabela autora, mas não é necessariamente uma autobiografia). Através das diversas experiências (algumas frustrantes, outras até engraçadas), Isabela nos leva a algumas reflexões sobre o amor, sobre amizade, sobre o que é realmente importante num relacionamento e, como o título sugere, nos mostrando como é que deve funcionar o desapego.

O desapego não é indiferença, covardia ou desinteresse. O desapego é se libertar de tudo aquilo que te faz mal e te causa sofrimento. Desapegar é sinônimo de se libertar. Soltar as algemas. Colocar asas. Se permitir voar novamente. O desapego é a aceitação, é o desprendimento.

Além da Isabela, um personagem que me apeguei demais opa... não era para desapegar?! foi o Pedro, amigo da Isabela. Os dois tem uma amizade bem bacana e que me renderam momentos de descontração e risadas.

Não dá para ler o livro e não se identificar em nenhum momento. Em pelo menos alguma situação você vai lembrar de alguém que passou pela sua vida ou pela vida de algum(a) amigo(a) próximo(a) de você.



Já me perguntaram se é um livro de auto-ajuda e eu arrisco dizer que não exatamente. O clima do livro não é de auto-ajuda, apesar de você terminá-lo com aquela sensação de que precisa mudar algo ou aquela sensação de que sua bagagem está um pouquinho mais gordinha, com novas experiências de vida.

E, bem, o livro não fala apenas de amor. Lá tem uma história que deixou meu coração um pouquinho partido... Não posso falar muito a respeito, afinal seria um big spoiler. Mas precisava mencioná-la de alguma forma e não me matem por deixar o suspense no ar

No vídeo abaixo, Isabela apresenta a primeira regra do desapego com o sotaque mineiro que eu gosto demais da conta, hahahaha




Gostei muito da Isabela autora e queria ter a oportunidade de encontrá-la em algum momento dessa vida (fui na bienal e até a vi um pouco de perto, mas o tempo não me deixou ficar na fila dos autógrafos). Para quem não sabe, ela é blogueira e você pode conhecer o blog da Isa clicando aqui.


Felicidade é se sentir bem sendo a pessoa que você é, a pessoa que não precisa fingir, a pessoa que mora dentro de você. É acordar com a certeza de que você tem tudo sob controle.



5 comentários

  1. Achei a capa e a história magnífica! Queria tanto comprar, pena eu ter uma lista enorme e combinei de dar uma esperada nas compras.

    Beijinhos,
    Gio - Clube das 6
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá! Como vai?
    Estou te indicando (intimando) a responder essa tag http://destinosopostos.blogspot.com/2014/09/tag-um-livro-e-um-filme.html haha, é a primeira que eu mesmo faço por isso quero muito que dê certo.

    Beijos - Destinos Opostos

    ResponderExcluir
  3. Oi Mayara,

    É uma sensação terrível o fato de criar expectativas a respeito de um livro que você quer muito ler. Mas, felizmente você não se enganou. Tenho vontade de ler esse livro, pois eu acho a capa linda demais e as frases que já vi por aí também.

    Beijão - Tão doce e tão amarga.


    ResponderExcluir
  4. Até agora, eu não sabia exatamente sobre o que era esse livro, mas gostei muito de sua resenha, então agora eu estou mais confiante para poder comprá-lo.

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
  5. oi May!
    Adorei sua resenha!
    Estou doida para ler esse livro, já li alguns quotes que foram postados aqui e me identifiquei bastante com algum. Tenho certeza que é o tipo de livro que irei gostar.
    Que bom que você gostou da leitura, é horrível quando depositamos muita expectativa em um livro e ele nos decepciona, não é?
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br
    PS: Confira a resenha de Círculo de Fogo: http://literalizandosonhos.blogspot.com.br/2014/09/resenha-circulo-de-fogo-elysanna-louzada.html

    ResponderExcluir