Resenha: Os primeiros casos de Poirot

Titulo original: Poirtot's Early Cases
Autor: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Tradução: Maria Moraes Rego
Ano Lançamento: 1974
Páginas: 241
Sinopse: Ainda nos primeiros anos de sua carreira, Hercule Poirot se vê diante de um caso dos mais instigantes: quem matou Lord Cronshaw? Terá sido mera coincidência a morte do Coco Courtenay na mesma noite? E teria ela ingerido deliberadamente uma dose fatal de cocaína?
Mal acabara de revelar surpreendentes conclusões, o detetive teve de usar novamente sua capacidade de dedução para solucionar dezessete outros mistérios estonteantes. Com os casos desta coletânea, Poirot afirma sua reputação como a mente mais brilhante das histórias de detetive.


Não estranhem pela data de lançamento do livro, peguei emprestado da biblioteca da escola e com certeza vou fazer muitas resenhas dos livros da biblioteca, pois contem verdadeiras raridades literárias.

Agatha Christie considerada mundialmente como a rainha do crime faz por merecer esse titulo nobre, com seu principal personagem Hercule Poirot.

O livro conta com os primeiros casos de Poirot, um detetive habilidoso e perspicaz, além de ser uma pessoa bem humorada.

Poirot tem um método bem particular em seu trabalho, ele sempre se refere a “células cinzentas” do cérebro que ajudam no êxito durante suas investigações.

Durante a leitura, tinha um caso que parecia impossível de achar uma solução que pudesse incriminar o suspeito, porem, Poirot com suas habilidades e os mínimos detalhes consegue desvendar esse crime.

Boa parte das aventuras se passa em Londres, temos belas descrições dos lugares que o principal personagem passa.

O leitor vai se surpreender com os vários crimes e mistérios durante a leitura e garanto que você vai ficar sem folego e claro dar boas risadas também.

Na rede social Skoob o livro recebeu avaliação de 3.9


Por: Rafa Botter

2 comentários

  1. Oi Rafa!
    Como não amar o Poirot? Comecei a ler Agatha Christie quando era bem novinha e justo com um livro protagonizado por ele e desde lá ele é meu detetive favorito. Hoje, cada livros que leio com ele é como reencontrar um velho amigo :)
    Ninguém supera as células cinzentas do pequeno belga, hehe.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Comprei esse livro semana retrasada!!!
    Estou MUITO ansiosa pra ler, voce nao tem ideia!
    E com essa resenha entao!!!!

    Beijinhos,
    Gio - Clube das 6
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir