Resenha: A Resposta

Olá, leitores.

Estou aqui hoje para resenhar o livro “A Reposta”. Eu fiquei sabendo desse livro através do canal literário do Bruno, chamado minhaestante. Ele comenta sobre esse livro em alguns dos seus vídeos, e eu me interessei bastante por ele.



Título original: The Help

Autora: Kathryn Stockett

Editora: Bertrand Brasil

Ano: 2010

Páginas: 574



Sinopse: Uma história de otimismo ambientada no Mississippi em 1962, durante a gestação do movimento dos direitos civis nos EUA.

Eugenia Skeeter Phelan acabou de se graduar na faculdade e está ansiosa para tornar-se escritora, mas encontra a resistência da mãe, que quer vê-la casada. Porém, o único emprego que consegue é como colunista de dicas domésticas do jornal local. É assim que ela se aproxima de Aibellen, a empregada de uma de suas amigas. Em contanto com ela, Skeeter começa a se lembrar da negra que a criou e, aconselhada a escrever sobre o que a incomoda, tem uma ideia perigosa: escrever um livro em que empregadas domésticas negras relatam o seu relacionamento com patroas brancas. 


Mesmo com receio de prováveis retaliações, ela consegue a ajuda de Aibileen, empregada que já ajudou a criar 17 crianças brancas, mas chora a perda do próprio filho, e Minny, cozinheira de mão cheia que, por não levar desaforo para casa, já esteve por diversas vezes desempregada após bater boca com suas patroas.

Uma história emocionante e estarrecedora onde a cor da pele das pessoas determina toda a sua vida. Um livro que, devido ao seu tema, chegou a ser recusado por quase sessenta editoras antes de ser publicado. 

A história ganhou adaptação para o cinema, no Brasil com o nome "Histórias Cruzadas". O filme foi indicado ao Oscar em 2012 na categoria melhor atriz, melhor atriz coadjuvante e melhor roteiro 



Então, o livro conta a história de três mulheres: Skeeter, Aibileen e Minny. Aibileen e Minny são duas mulheres negras, ambas empregadas domésticas. Skeeter é uma jovem branca de 23 anos que acabou de se formar na faculdade.

O ano é 1962, época que os negros ainda eram muito discriminados e lutavam por seus direitos. Digo, nem todos lutavam, pois sofriam fortes repressões.

Como a Dona Skeeter sonha em ser escritora, ela manda currículo para uma editora em Nova York, onde é aconselhada a escrever sobre o que a incomoda. Pensando nisso, ela percebeu que o que realmente a incomoda são as diferentes formas que os negros e os brancos são tratados.

Então ela resolve escrever um livro mostrando o lado contrário da história, ou seja, a visão dos negros.

Começa então a história, todo o processo de desenvolvimento do livro da Dona Skeeter é feito escondido, pois algo desse tipo, naquela época, teria grandes punições.

Esse livro realmente me tocou, não é daqueles em tu chora, mas sim um daqueles que tu percebe como o ser humano era é cruel quando quer.

Não poder usar o mesmo banheiro que os brancos, ter que sentar nos fundos dos ônibus, ter que comer em mesas separadas, são coisas que os negros da época sofriam. Acredito que ainda sofram, mas de maneiras diferentes.

A gente chora pra valer, e parece que a vida não pode continuar. Mas ela continua.

O livro além de contar os fatos que os negros passaram naquela época, também traz mistérios que te prendem a eles. Skeeter foi criada pela sua empregada Constantine, porém, quando ela retorna da faculdade, Constantine não trabalha mais na sua casa. E ninguém está disposto a contar para ela o que aconteceu.

Esse e mais outros mistérios são desvendados conforme tu vais passando as páginas.

Acho que já deu para perceber o quanto eu gostei do livro, né? Rsr

A maior lição de moral que eu aprendi, foi: Todos somos iguais, independentemente da cor, raça, personalidade. Não há motivos para o preconceito.

A bondade não tem limites.

Bom, deixo então essa indicação de leitura para vocês. Espero que, como eu me interessei e amei, o mesmo aconteça com vocês.

Deixem suas opiniões nos comentários.


Beijos e até a próxima! 

2 comentários

  1. Eu lembro do filme mas não cheguei a assistir. Li um livro também ambientado nesta época e é triste ver como as pessoas mesmo numa época nada distante conseguiam ser ignorantes quanto a questão do preconceito.
    Foi no livro Dois Rios que li sobre esta época!

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  2. Lembro vagamente do filme, mas também não cheguei a ver. Não parece ser bem o gênero que me agrada. alguns livros me deixam com receio de ficar triste...E é uma sensação que eu geralmente evito. Mas parece ser um livro lindo!

    Ana P.M. ♛ Queen Reader - Venha conhecer o Castelo!
    http://booksandcrowns.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir