Livreando News

O mês de março começou com uma polemica mundial no meio literário. 


Lynn Shepherd é uma autora e colaboradora do site Huffington Post, através do site, ela publicou uma matéria atacando nada menos que J.K. Rowling. Sendo divulgado através da internet em questão de segundos, após ser publicada, a matéria causou um alvoroço nas redes sociais e outros autores tomaram conhecimento. Segue trecho da matéria:


Eu não me importava muito com Rowling quando ela estava por aí “Potteriando”. Eu nunca li uma palavra (ou vi um minuto) de Harry Potter, então não posso comentar se os livros são bons, ruins ou indiferentes. Porém, eu achei vergonhoso que adultos estavam lendo, principalmente porque existem muitos outros livros por aí que estimulariam melhor as mentes adultas. Mas até aí, ler qualquer coisa é melhor do que ler nada, correto? “Morte Súbita”, porém, mudou tudo. [...]

Anteriormente, a Shepherd diz que nunca leu uma palavra (ou viu um minuto) de Harry Potter, mas em seguida, diz que achou vergonhoso adultos lerem Harry Potter, pois existem muitos outros livros por aí que estimulariam melhor as mentes adultas. Como ela tira esta conclusão? Como saber se os livros de Rowling não estimulam bem as mentes dos adultos, se ela mesma diz que “não posso comentar se os livros são bons, ruins ou indiferentes”. Assim, ela segue com suas falas:

[...] O problema não está no fato do hype ter sido excessivo, ou de que o livro não era nenhuma obra de arte e mesmo assim vendeu milhões de cópias, e sim no fato de que sobrepujou todo o resto, não importa o quão bom ou o quanto valia a pena. Esse livro sugou todo o oxigênio de toda a atmosfera de publicação e literatura. [...]



[...] Rowling não tem necessidade de espaço nas livrarias, mas outros escritores sim. E agora, uma sequência [de O Chamado do Cuco] está para vir, e essa atenção exacerbada irá acontecer novamente. [...]

[...] Esse é meu pedido para J. K. Rowling. Lembre-se de quando O Chamado do Cuco vendeu apenas algumas caixas e pense em quantos de nós estamos presos nisso porque não podemos empunhar uma varinha e transformar nossos livros em best-sellers da noite para o dia ao dizer uma palavra mágica. Continue escrevendo para crianças, ou para seu prazer pessoal – eu nunca negaria isso a ninguém – mas no que diz respeito ao mercado adulto, você já teve seu momento. Aproveite sua vasta fortuna e o bem que está fazendo com ela, aproveite também o amor de sua legião de fãs, e boa sorte em ambas as frontes. Mas está na hora de dar aos outros escritores um espaço para respirar.


Depois de ter virado um alvoroço com todo esse depoimento da autora, ela pensou duas vezes e pediu desculpas pelo texto ofensivo. Muitas criticas e ofensas foram enviados para essa autora e tudo foi esclarecido.

2 comentários

  1. Olha, eu gostei dessa moça ter dado a opinião dela ahuahauhau ai eu sou muito do contra! Em certas partes eu concordo com ela, tipo, eu li Harry Potter e na época dos lançamentos dos livros mas acho que esses novos livros dela só estão fazendo sucesso por ser " a J. K. Rowling" até pq já muitas criticas de ambos os livros. Mas enfim né, cada um com sua opinião. Adorei o post!!

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  2. Minha opinião é que ela vende, sim, pelo nome -também. Mas antes de revelar o pseudônimo, vendeu bastante, considerando ser um autor totalmente desconhecido.E antes de HP ELA era desconhecida. Existe espaço suficiente nas estantes para todo mundo. Varios escritores vendem pelo nome(Sidney Sheldon, Clarice Lispector, Sharkespeare) e cada um conquistou espaço com seu talento, assim fez a J.K.
    Adorei o post, e pelo menos tudo se resolveu (:
    xoxo

    wesaysomething.blogspot.com

    ResponderExcluir