Autora entrevistada: Fabiana Cardoso



1- Fabiana, primeiramente queremos agradecer por você conceder uma entrevista para o blog Livreando. Fabiana, nos fale um pouco sobre você.

R: Eu que agradeço a oportunidade e apoio que a equipe do Livreando está me dando, obrigada!

Bem, eu sou de São Paulo, tenho 37 anos, sempre gostei de ler e na adolescência gostava de escrever histórias que apenas pessoas próximas liam e gostavam. Escrevi as aventuras da ADQS entre os anos de 1997 e 1998. 

Gosto de ler, viajar, assistir filme e séries e, claro, escrever.


2- Quando começou a paixão pelos livros? Sua família te incentivava a leitura? Você se lembra do seu primeiro livro lido?

R: Sempre gostei muito de ler, desde pequena adorava ler histórias para minha irmã caçula e durante as brincadeiras criava personagens e aventuras variadas. 

Meus pais sempre me incentivaram e tive uma professora de português da qual nunca vou me esquecer. No primeiro dia de aula ela passou uma lista de livros e falou que teríamos que ler um livro por mês e realizar um trabalho sobre o livro de acordo com nossa visão. Alguns alunos reclamaram, mas depois de ler tantos livros, ver trabalhos diferentes e comentar com os colegas sobre os rumos de cada história todos ficaram satisfeitos com o resultado. 

Quando era bem pequena eu adorava Pinóquio, o boneco mentiroso que queria tornar-se um menino de verdade. E adorei a série vaga-lume de autores nacionais.

3- Você sempre sonhou em ser escritora? Qual foi o momento em que você decidiu começar a escrever?

R: Nunca pensei em ser escritora (risos). Desde a adolescência eu tinha uma imaginação muito fértil, as ideias surgiam e a história se formava em minha mente. Era impossível não passar as ideias para o papel, escrevi vários contos. Em 1996 veio a ideia de escrever um romance policial, meu gênero favorito na leitura. Nos anos seguintes, escrevi As aventuras da ADQS, mas depois entrei para a faculdade, tive que me dedicar aos estudos e parei de escrever. Somente em 2010, quando me casei e fiz a minha mudança, que encontrei os meus escritos. Eu me diverti relendo as aventuras dos agentes secretos e decidi atualizar a história. Coloquei em um site independente e para minha surpresa o original foi aprovado pela Editora Modo.

4- Fale-nos sobre o seu primeiro livro “ADQS”. Tem algum personagem que você mais se identifica?

R: ‘ADQS’ é uma organização secreta brasileira. A trama começa quando Cíntia uma ex-criminosa é recrutada para trabalhar nessa organização, assumindo a identidade de Thaís Torres. Através dela o leitor vai Desvendando a Organização Secreta. A mais nova agente terá que investigar crimes e arriscar sua vida nas operações pouco convencionais, vai conhecendo os outros agentes, que como ela tem um passado obscuro. Vivendo fortes emoções em suas missões e se arriscando em um romance proibido. Apesar do tema resolução de crimes ser pesado, o livro é narrado de forma leve e bem humorada.

Tudo pode acontecer, pois esta é uma organização Acima De Qualquer Suspeita!

Quanto aos personagens, com alguns eu me identifico, mas eles têm muito do que eu gostaria de ser. Na época era muito tímida e tinha poucos amigos, passava a maior parte do tempo lendo e escrevendo. Então criei personagens bem extrovertidos e comunicativos, com características diferentes. Gosto de todos, como se fossem meus amigos: a Thaís é determinada, o Henrique é gentil, O Caio é descolado, o Ed inteligente, a Valéria é ponderada, a Bruna é engraçada... Enfim, cada um tem a sua personalidade, um pouco do que sou e muito do que gostaria de ser.

5- O livro “ADQS” vai ter continuação, não é mesmo? Conte um pouco sobre ela para deixar os leitores do Livreando ainda mais aguçados. 

R: Sim, apesar de desvendar vários segredos, alguns mistérios ficaram pendentes no primeiro livro. A continuação ADQS 2 - Desafiando as Regras da Organização, foi aprovada pela editora e está passando pelo processo de revisão, com previsão de lançamento na Bienal de São Paulo em agosto desse ano. No segundo e último livro da série tudo será respondido. Os leitores irão conhecer mais sobre o passado de crime dos agentes secretos e o que o futuro lhes reserva. Além das novas missões que terão que enfrentar. Muitas surpresas, revelações e crimes para resolver. Aventura, humor e romance continuam fazendo parte do segundo livro.

6- Você tem algum escritor no qual se inspirou no começo de sua carreira?

R: Com certeza, adoro ler. O autor que mais me influenciou foi Arthur Conan Doyle, adoro seus livros e seu fantástico personagem Sherlock Holmes que investiga os mais diferentes crimes. “As Aventuras de Sherlock Holmes” marcou minha adolescência. 

7- Fabiana, deixe o seu top 10 livros.

R: Apesar de amar livros de mistério, leio de tudo um pouco. Gosto de um bom romance e de outros gêneros, difícil escolher apenas dez, mas vamos lá:

As Aventuras de Sherlock Holmes – Arthur Conan Doyle
Os Quatro Grandes - Agatha Christie
Feliz Ano Velho – Marcelo Rubens Paiva 
Fascínio Egípcio – Luciane Vieira Z
O Código Da Vinci – Dan Brown
Trilogia Millennium – Stieg Larsson 
Aqueça Meu Coração – Fernanda Meireles
Presídio – Joe Silva
Antes de Você Chegar – Renata Muller
A Princesa com Olhos de gato – Gislene Vieira de Lima.

8- Quais são seus autores favoritos?

R: Além de Arthur Conan Doyle, meu favorito. Li muito Agatha Christie, gosto muito de “Os Quatro Grandes”. Todos os autores que citei acima se tornaram meus favoritos através de suas obras.

9- Para aqueles que têm o sonho de publicar um livro, qual é a sua dica para eles?

R: Tenho postado vários textos sobre como desenvolver a escrita no meu blog e em um blog onde sou colaboradora. Acredito que escrever melhora com a prática, se você tem criatividade e gosta de escrever, então mãos a obra. Escrevi vários contos antes de concretizar um livro. Então, resumidamente, minhas dicas são: leia bastante, escreva sempre, revise o texto, seja persistente e procure sempre melhorar através de cursos.

10-Para encerrar, uma frase que está presente em sua vida.

R: Tem uma frase muito positiva do Charles Chaplin, que gosto muito e procuro seguir:

“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.”

Obrigada, mais uma vez, a equipe do Livreando pelo espaço no blog e apoio ao meu livro! E agradeço aos leitores que acompanharam essa entrevista.

Nenhum comentário :

Postar um comentário