Resenha: O Presente - Cecelia Ahern

Oiiiii, gente ^^

Como estão?

Hoje é dia de resenha e estou aqui para falar para vocês um pouquinho mais sobre o livro O Presente.


Título original: The Gift

Autora: Cecelia Ahern

Tradução: Ivar Panazollo Júnior

Editora: Novo Conceito

Páginas: 320

Avaliação: 

Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos... Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber... Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.




O Presente não é apenas um livro, não é apenas um passatempo, não é "só uma historinha para se entreter". É mais que isso. É uma lição de vida.

Confesso que foi uma leitura um pouco lenta, mas assumo a minha parcela de culpa. Não é que a narrativa seja ruim (longe disso), nem que os personagens sejam mal elaborados (são ótimos, por sinal), mas é um livro que foge da minha zona de conforto (aquela composta por livros que podem até ser dramáticos, tristes e/ou misteriosos, mas sempre tem um toque de humor). E, assumo para vocês de ♥ que não me arrependo de ter saído dela para ler o livro da Cecelia.

A história de Lou Suffern é, na verdade, narrada por um policial dentro de uma delegacia para um garoto que jogou o peru de Natal pela janela (um adolescente meio rebelde, digamos assim). E, apesar disso, em alguns momentos eu até esquecia que era dentro deste contexto, já que a história do Lou prossegue por vários capítulos (e nos relembra este fato apenas cinco vezes, com os capítulos intitulados "O garoto do peru").

Lou é um homem casado que tem dois filhos e é bem-sucedido na empresa em que trabalha, mas ele tem um problema muito comum hoje em dia: ele é um workaholic (ou viciado em trabalho). E ele se dedica tanto ao trabalho que acaba se convencendo de que "não tem tempo" para nada relacionado à sua família. E, bom, nessa vida ele acaba tendo alguns relacionamentos extra-conjugais também.

Acontece que um dia, Lou encontra um mendigo (Gabe) na calçada próximo ao seu trabalho e, tomado de uma estranha compaixão, ele oferece um emprego a ele. E eis aí um personagem que me fez prosseguir com a leitura: Gabe.

Gabe é um tipo bem misterioso (vai do primeiro ao décimo-quarto andar em uma velocidade humanamente impossível, entre outras coisas) e que nos deixa bem intrigados.

No decorrer da história, eu me percebi bem curiosa a respeito do que aconteceria com Lou e se haveria uma explicação para o "mistério Gabe".

É uma leitura que vale a pena para refletir. Acho que todos precisamos parar em algum momento e pensar nos nossos valores. Pensar se damos a devida atenção a quem amamos, se fazemos a nossa vida valer a pena. E Cecelia aborda tudo isso de maneira bem intensa.



Espero que tenham gostado da resenha. E, só para lembrar, comentários são bem-vindos ;)

Beijinhos e até mais!



Um comentário

  1. Adorei a resenha May! Olhando pela capa eu nunca ia imaginar sobre o que o livro se tratava, as vezes tenho a impressão que todos os livros da Novo Conceito são romances por causa das capas ahahaha

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir