Resenha: A Estrela que Nunca vai se Apagar

Oi, gente ♥

Sabe quando você pega um livro, lê, fica in love, ele se torna seu favorito e você precisa que todos leiam? Então... a resenha hoje vai ser de um livro assim. Virou meu favorito dos favoritos desse ano e um dos "mais favoritos" da vida. Está do ladinho de A Culpa é das Estrelas.

Título original: This Star Won't Go Out

Autora: Esther Earl, com participação de seus pais, parentes e amigos.

Tradução: Regiane Winarski, Edmundo Barreiros, Maria de Lourdes Sette.

Páginas: 448

Editora: Intrínseca

Sinopse: Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa "estrela", ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line que fazia parte.
Esta é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujos carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.






É até difícil começar a falar desse livro. Nesse momento, a única palavra que consigo resumi-lo é amor. Acabei de lê-lo ontem à tarde e já vim resenhar. Vamos começar pela minha velha ladainha? Posso contar como foi que esse livro veio parar nas minhas mãos? Vai ser rápido, eu prometo. E vou escrever de outra cor. Assim você pode simplesmente pular essa parte, se quiser :)



Há algum tempo atrás (creio que por volta de dois meses), eu estava vagando pelo Submarino. Não é ou pelo menos era meu costume ir na seção "Pré-venda", mas neste fatídico dia, eu fui lá. Já sabia que iria ser lançado o livro da história de Esther Earl (e eu já o queria, pelo simples fato de ela ter ajudado na inspiração de John Green para escrever meu livro favorito). O que eu não sabia era que eu poderia comprá-lo naquele exato momento. Então eu comprei. Foi simples assim. Esperei ansiosamente o prazo (foi por volta de 60 dias) e me surpreendi positivamente ao constatar que ele chegou para mim dias antes do prazo máximo de entrega.

Agora vamos ao que realmente interessa... :D



Ainda estou um pouco sob o efeito do livro. Um pouco não. MUITO. Foi uma leitura linda, que me fez rir, gostar ainda mais dos nerdfighters, questionar coisas, lembrar ainda mais de Deus, pensar se eu realmente faço as pessoas que eu amo estarem cientes que eu as amo. E, é claro, o livro me fez chorar. Passei a tarde de ontem lendo e chorando, haha. Fica difícil  ser imparcial quando um livro nos preenche assim, tão completamente e marca tanto.


O livro é, basicamente, composto por trechos do diário de Esther, da página que sua família mantinha para manter os amigos informados sobre a saúde dela, de alguns trechos escritos por seus amigos e, no fim de tudo, contém alguns fragmentos de histórias escritas pela Estee (gente, essas histórias são realmente boas e eu fiquei querendo muito ler o final delas *-----*).


Há tanta coisa que eu gostaria de falar, de citar, de compartilhar, de mencionar... mas parece que me faltam um pouco as palavras. Depois que você ler, conhecerá um pouco do Catitude (um grupo virtual que Esther fazia parte e através do qual conheceu muitos amigos) e, se for fã de Harry Potter, vai se identificar muito com ela, que era uma super fã e ouvia bandas bruxas (quer escutar a música dela favorita? Clique aqui).

Talvez vocês enjoem de ver esse meu ursinho por aqui. Mas gosto tanto dele ♥

Livros favoritos me deixam sem palavras, mas eu preciso dizer que RECOMENDO A LEITURA COM TODA A CERTEZA (desculpem "gritar", mas é que precisa ficar bem claro). É um livro inspirador. Esther foi uma garota que realmente soube "ser awesome" nesses seus 16 anos de vida.

Leiam, leiam, leiam... e chorem. Mas sintam-se inspirados ♥



Beijinhos. DFTBA.




5 comentários

  1. Acho que nem se quer cogitei a hipótese de esse livro ser ruim, afinal foi a história dela que inspirou Green em ACEDE.
    Eu esto ansiosa para ler. ^^

    http://amolivrosdeverdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este livro deve ser maravilhosamente triste. Entendo que você tenha chorado durante a leitura!

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi May, apesar de ter lido ACEDE, eu não fiquei muito a fim de ler esse livro! Acho que mais pelo fato de que TODO mundo só fala de ACEDE e aí eu meio que criei uma pequena aversão a tudo isso. Mas acho que esse livro desse ser muito lindo, quem sabe um dia eu leio!
    Só não gostei muito da capa, acho que poderia ter sido mais caprichada.

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ah q Linda asua resenha . Quero mt ler agora

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir