Resenha: O Teorema Katherine


Olá livreadores!

Essa é minha primeira resenha de 2014, então resolvi resenhar um livro do autor que me conquistou em 2013. E o livro escolhido foi: O Teorema Katherine, do John Green! Então, vamos ao que interessa?

Título: An Abundance of Katherines

Autor:
John Green

Editora:
Intrínseca

Páginas:
 304

Ano:
2013
Classificação: 


Sinopse: Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.


O livro começa com Colin, um menino que de normal não tem nada. Ele está na fossa porque acabou de levar um fora da Katherine XIX. Sim, acreditem ou não ela é a 19ª Katherine que Colin namorou e levou um fora. E ele está destruído, porque desta vez ele tinha certeza de que esta era a Katherine certa.

Colin é um garoto um tanto diferente, totalmente nerd, ex-prodígio e aspirante a gênio. Colin acabou de se formar no colégio e percebe que não está conseguindo alcançar a genialidade, afinal, ele já tem 17 anos e ainda não descobriu a cura de nenhuma doença, não concluiu nenhum doutorado e não fez nada de extraordinário que o deixasse famoso ou o fizesse ser lembrado por toda eternidade, ele só sabe decorar as coisas que lê, fazer anagramas, estudar idiomas e namorar Katherines e está surtando com isso.

Então Colin resolve pegar o carro e viajar sem destino com seu melhor amigo Hassan. Como que por ironia do destino, Colin e Hassan vão parar em Gutshot, a cidade em que o Arquiduque Francisco Ferdinando (sim, aquele cuja a morte deu inicio a Primeira Guerra Mundial) está enterrado.

Em Gutshot, eles conhecem Lindsey. Ela se encarrega de ser a “guia turística” deles e os leva até o túmulo do arquiduque. Chegando lá Colin tem seu primeiro momento “Eureca” e percebe que os relacionamentos podem ser representados em um gráfico matemático e que com esse gráfico pode-se dizer quanto tempo esse relacionamento durará, quem será o Terminante e quem será o Terminado. Então ele decide criar O Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines e acredita que, tendo este Teorema pronto, ele enfim alcançará a glória desejada, sendo reconhecido mundialmente como um gênio e o mais importante, terá a sua Katherine de volta, que é o que importa.

Mas resolver o teorema não é tão simples assim, afinal, será mesmo possível prever os relacionamentos através de cálculos matemáticos? Não seria o amor imprevisível? E nesta busca por respostas matemáticas para seus fracassos em relacionamentos Colin vive situações que nunca imaginou na pequena cidade de Gutshot. Mas para saber se ele consegue ou não resolver o teorema, só lendo o livro.

É possível amar muito alguém. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.

Neste livro John Green vem com a sua marca registrada, a “nerdice” incrustada em seus personagens e a esquisitice deles, mas assumo que nesse livro ele ultrapassa o desejado, o que acaba tornando a história um pouco chata. Ele exagera em termos matemáticos o que atrapalha o rumo da história e acabou me desagradando bastante. A narrativa é boa, como sempre, Green não deixa a desejar neste aspecto. Mas falta algo na história, talvez noção. É tudo muito louco e esquisito. Além de, na minha opinião, Colin não ser um personagem legal. Ele é egoísta, sem noção e egocêntrico. E os outros personagens também não são interessantes, ao meu ver. Pela primeira vez em um livro do autor eu não conseguir criar qualquer sentimento pelos personagens, eles simplesmente não despertaram nada em mim.

Sou obrigada a dizer que desta vez Green me decepcionou, sendo este o livro dele que menos gostei, não sei se por minha aversão a matemática ou pelos personagens com os quais não me identifiquei, eu simplesmente não consegui gostar do livro, o que é uma pena.

Ainda assim, recomendo a todos que leiam e tirem suas próprias conclusões e me contem o que acharam. E a quem leu e gostou, me desculpe. Dei apenas minha opinião e respeito a opinião alheia e se você quiser deixá-la nos comentários, sinta-se a vontade. Bom é isso, um abraço a todos e até a próxima.



14 comentários

  1. Poxa, eu adorei esse livro. Dos livros do John Green ele está por último, mas não que eu não tenha gostado. Fico muito triste em saber que vc não gostou muito, mas fazer o que? Cada um tem sua opinião e precisamos respeitar :)
    Um dos motivos de ter gostado do livro foi que ele me fez rir muito, achei super divertido, e adoro livros assim, que fazem a gente rir sozinha no meio da sala de aula e todo mundo olhar e pensar "pq essa louca tá rindo?"

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Débora!
      O livro também conseguiu me fazer rir igual uma louca em alguns momentos, mas achei ele muito abaixo dos demais livros do Green, e talvez essa decepção tenha feito com que eu não gostasse do livro.
      Mas enfim, continuarei lendo os livros do John Green porque amo a narrativa dele e espero gostar mais dos próximos. Hehe

      Beijinhos.

      Excluir
  2. Sou louco por esse livro!! Esse os demais do John Green que ainda não tive chance de ler, mas espero conseguir nesse ano novo!
    A resenha me deu mais vontade de ler!! Adorei!

    Continue postando sempre!
    Ah! Tô te seguindo.

    Bjim =*

    gotadenanquim.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Douglas!
      Eu adoro o John Green! Atualmente estou lendo Cidades de Papel e quando eu terminar só faltará Deixe a neve cair para eu ter lido todos do autor.
      Você ser como eu, quando alguém diz que não gostou quero ler logo o livro para ver se vou gostar, haha.

      Obrigada e estou te seguindo também!

      Beijinhos.

      Excluir
  3. Às vezes leio uma resenha com o pé atrás, principalmente quando falamos deste livro. Aí vai meu comentário:

    Que pena que você desgostou, recomendo que as pessoas não leiam primeiro A culpa é das estrelas e depois O teorema Katherine, pois vão ler com altas expectativas.

    John Green é um autor incrível, e eu não gostei quando você disse que Colin é "um menino que de normal não tem nada", e logo depois você disse que "Colin é um garoto um tanto diferente". Fiquei na dúvida, e te pergunto: o que é normal pra você? E só porque ele era muito inteligente e queria ser um gênio ele era diferente? E afinal, Colin era diferente ou anormal?

    PS. encontrei um erro de português na resenha. No segundo "parágrafo" (pois está difícil ler a resenha com todas as linhas muito juntas), você escreveu "totalmente nerd, ex-prodígio e aspirante à gênio." O erro é que "gênio" é uma palavra masculina, e não se usa crase diante de palavras masculinas, o correto seria "aspirante a gênio". Sim, sem crase.

    Bem, já disse que não gostei da resenha, pois você não apresentou seus critérios para gostar de um livro. Espero resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samuel!
      Realmente acredito que quem já leu A culpa é das estrelas e depois resolveu ler O teorema Katherine, provavelmente se decepcionou um pouco. Eu mesma sofri com isso. Após ler A culpa é das estrelas e Will & Will, assumo ter criado fortes expectativas em relação aos livros do John Green e ao me deparar com O teorema Katherine achei o livro bem 'fraquinho' em relação aos demais.
      Quanto ao fato de eu ter dito que "um menino que de normal não tem nada", e que "Colin é um garoto um tanto diferente" quis fazer alusão ao fato de que Colin pensa diferente e age diferente, sim, tendo como base os padrões com os quais eu estou acostumada, as pessoas comuns com as quais nos deparamos em nosso cotidiano. Afinal, quantas pessoas como Colin você conhece? Eu realmente não conheço nenhuma. Não se encontra pessoas como o Colin em qualquer lugar e foi isso que eu quis ressaltar . Não que isso seja ruim, isso é um diferencial do personagem. Então ao usar o termo "garoto que de normal não tem nada" quis dizer que Colin não é um garoto como os outros com os quais nos deparamos normalmente, seja na vida real ou nos livros mesmo, digo isso por mim.
      E quanto ao erro de português vou corrigi-lo agora mesmo e peço desculpas, pois foi distração minha.
      Bom, quanto aos critérios para não gostar do livro eu deixei bem claro alguns deles. Quando eu digo, por exemplo, que John Green "exagera em termos matemáticos, o que atrapalha o rumo da história" entre outros comentários que faço ao longo da resenha, estou claramente dizendo o que me desapontou na história fazendo com que o livro fosse ruim para mim.
      Enfim, como disse, aceito toda e qualquer opinião, mas não vou mudar minha forma de pensar. Eu não gostei do livro e cheguei até mesmo a abandonar a leitura por um tempo, mas depois acabei voltando a ler.
      Obrigada por sua opinião sincera!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta! Consegui entender seu ponto de vista, agora.
      Ah, e espero que esteja feliz, pois sou blogueiro e adoraria que pessoas lessem minha resenha INTEIRA, e depois comentassem uma crítica. Sucesso ao blog, e desculpa qualquer coisa.

      Excluir
    3. Eu gosto sim de saber que as pessoas leram o que escrevi e fico feliz que contestem, pois prova que estão interessados.

      Imagina, obrigada!

      Beijinhos.

      Excluir
  4. Adorei o review. Esse livro está na minha lista de espera. Fiquei mais motivada ainda pra lê-lo!!

    Beijos.
    http://cafecomlivroo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Helena!
      Espero que goste! Quando ler, me conte o que achou! :)

      Beijinhos.

      Excluir
  5. Eu achei uma leitura leve e as vezes engraçada, bem pra passar o tempo mesmo sabe ? Concordo com você que o livro não é lá essas coisas e que o autor consegur fazer coisa muito melhor.
    Colin realmente não me conquistou também, diferentemente dos outros livros do autor..
    Enfim, acho que a sua resenha ficou muito boa.

    depoisdeumlivro.blogspot.com
    espero a sua visita (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juliana!
      Também esperava mais do autor... atualmente estou lendo cidades de papel e já estou gostando mais. Hehe
      Obrigada e adoro seu blog, um dos meus favoritos!

      Beijinhos.

      Excluir
  6. Olá meninas,já li A Culpa é das Estrelas amei,pretendo ler todos livros do autor,gostei do enredo,só não quero mim decepcionar!!!
    beijinss!
    http://lendoaprendendoevivendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rose :)
      Leia sim, os livros do autor são incríveis, já li quase todos! haha

      Beijinhos.

      Excluir