Quotes: Quem é você, Alasca?

Olá, pessoal.

Tudo certo por aí?

Hoje é dia de uma das minhas categorias favoritas: quotes. Pensei bem sobre qual livro escolheria e acabei optando por Quem é você, Alasca?, do John Green. Fizemos um JPS (Juntas, porém separadas) dele aqui.




Foi difícil manter alguns quotes devido ao spoiler contido neles... Ainda assim, espero que gostem!



Chega uma hora em que é preciso arrancar o Band-Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.

Esse é o mistério, não é? O labirinto é a vida ou a morte? Do que ele está tentando escapar - do mundo ou do fim do mundo?

"É, você também não é feia", respondi, sentindo-me desarmado por causa do elogio. "Mas não me ouviu dizer isso, porque gosto da minha namorada. Ah, não. Espere. Não tenho namorada."

"Por que você fuma tão depressa?", perguntei.
Ela me olhou e abriu um sorriso largo, e um sorriso assim tão largo em seu rosto estreito talvez lhe desse um ar meio tolo não fosse a inquestionável elegância de seus olhos verdes. Ela sorriu com todo o encantamento de uma criança na noite de Natal e disse: "Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer".

Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

Às vezes perdemos a batalha. Mas a farra sempre vence a guerra.

Não sabia se podia confiar nela e já estava cansado de sua imprevisibilidade - fria num dia, meiga no outro; irresistivelmente sedutora num momento e insuportavelmente chata no outro.

Bem, é ridículo sentir falta de uma pessoa com quem você não se dá muito bem. Mas, sei lá, era bom, sabe, ter alguém com quem brigar.

Um dia, ninguém vai lembrar que ela existiu (...), ou que eu existi. Porque as lembranças também desmoronam.

Às vezes ainda acho que "a outra vida" é algo que inventamos para apaziguar a dor da perda, para tornar o nosso tempo no labirinto suportável. Talvez ela fosse apenas matéria, e a matéria se recicla.

Simples assim. De centenas de quilômetros por hora ao repouso em um nanossegundo. Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolvê-la em meus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela no sentido mais inocente da palavra. Mas eu não tinha coragem. Ela tinha namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.

Tenho medo de fantasmas, Gordo. E minha casa está cheia deles.

Eu sempre amaria Alasca Young, minha vizinha pervertida, com todo o meu pervertido coração.


Tudo bem. A neve pode estar caindo sobre o inverno da minha desesperança, mas pelo menos não me faltará sarcasmo.


O medo é uma boa desculpa! O medo é a desculpa que todo o mundo sempre dá!


Sabe quando o sol fica desse jeito, com as sombras alongadas e esse tipo de luz clara e suave que antecede o pôr do sol? É a luz que deixa tudo melhor e mais bonito. E hoje tudo pareceu estar iluminado por essa luz.


Isso é o medo: Perdi uma coisa importante, não consigo achá-la, preciso dela. É o que a pessoa sentiria se perdesse os óculos, fosse até uma óptica e descobrisse que todos os óculos do mundo tinham se acabado e que, agora, ela teria de se virar sem eles.

Tudo o que é construído termina por desmoronar. Tudo. Esta cadeira. Ela foi construída e, portanto, vai desmoronar. As células, os órgãos e os sistemas  que compõem seu corpo - tudo isso foi gerado, foi construído, e, portanto, vai desmoronar.

Sempre me causava espanto perceber que eu não era a única pessoa no mundo que pensava e sentia essas coisas estranhas e horrorosas.

Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de consequências que resulta das nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil.


Hoje, acredito que somos mais do que a soma de nossas partes. [...] Existe algo mais. Uma parte que é maior do que a soma das suas partes cognoscíveis. E essa parte tem de ir para algum lugar, pois não pode ser destruída.

Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Não nascemos, nem morremos. Como toda energia, nós simplesmente mudamos de forma, de tamanho e de manifestação.



Digitando os quotes aqui, senti uma certa nostalgia do livro... bateu uma saudade principalmente do Gordo, da Alasca e do Coronel...


^^ Vocês já leram o livro? Gostaram dos quotes? Tem algum que não foi colocado, mas que vocês gostam? Qual gostaram mais? (eu e minhas infinitas perguntas... vou tentar me controlar mais, gente, rs).


Beijinhos e até breve! ;)

http://www.livreando.com.br/search/label/Post%20da%20May

6 comentários

  1. Olá May, tudo bem ?
    Ainda não li esse livro, mas como adoro John Green, com certeza está na minha lista de leituras.
    Adorei as quotes, o livro parece ser ótimo! Embora eu não tenha entendido muito por não saber o contexto, achei a do cigarro muito interessante. Me deixou com vontade de ler mais, rs.

    beeeijos

    depoisdeumlivro.blogspot.com
    espero a sua visita (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju ^^

      Assim que for possível, leia sim. Há quem diga que é o melhor livro do Green <3

      E essa parte do cigarro é legal mesmo...

      Beijos. Obrigada pela visita.

      Excluir
  2. Já li e adoro esse livro!
    John Green tem quotes maravilhosas em seus livros
    xoxo

    wesaysomething.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é tão maravilhoso! Foi meu livro favorito de 2013 e lendo os quotes me deu uma vontade de enorme de ler de novo, e acho que farei isso, viu?!

    Adorei o post!

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa ameiii os quotes, se já estava com vontade de ler esse livro, agora estou louca para ler rsrs
    Adorei mesmo, parece um livro lindo.
    Beijos!!
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Apesar de QÉVA ter sido um pouco de decepção pra mim, tenho que reconhecer que o livro tem quotes lindos!

    Beijos May (;
    oquedevoro.blogspot.com

    ResponderExcluir