Resenha: Ócrun

Hoje estou aqui para mais uma resenha. Desta vez, é uma resenha especial, já que é de um livro da Cláudia Elisabeth Ramos, nossa autora parceira.

Autora: Cláudia Elisabeth Ramos
Página: 125
Ano: 2013

Sinopse: No século XVII, a pequena cidade francesa de Laureville é atormentada pela figura de um provável bruxo. Nascido numa sexta-feira treze do mês de agosto à meia-noite, com lua cheio, era o sétimo filho de uma família já com seis filhas mulheres. Segundo o povo, ainda criança, praticava bruxarias e tinha poderes maléficos. Acusaram-no de matar um padre em uma missa quando tinha apenas doze anos. Expulsaram-no da cidade após muitas tentativas de matá-lo, o que ninguém conseguia. Sete crianças haviam sido encontradas mortas em meio a magia negra, vinho se transformara em sangue e, em uma fuga do bruxo, moradores testemunharam a metamorfose de seu cavalo em um ser alado. Em meio a essa imagem criada pelo misticismo da época, surge o amor de uma pretendente a ser noviça de um convento e o jovem acusado de ser o bruxo. A jovem descobre um homem extremamente bom, com dons sobrenaturais e benéficos. Testemunhando a inocência, busca convencer a cidade. Mas a situação complica-se ainda mais quando o Vaticano manda a Santa Inquisição cuidar do caso. Ela é tida como enfeitiçada. Será feitiço, ou verdadeiro amor? Como saber diante a tantas dúvidas.


Ócrun, apesar de ter essa capa um pouco polêmica, é um livro que fala principalmente do amor. Ele se passa no século XVII, o período que foi o auge da “caça às bruxas”. E é justamente esse o elemento principal da narrativa.

Cristine é uma garota religiosa e está pronta para ir ao convento, mas no meio do caminho acontece uma tempestade e uma árvore cai, atrapalhando o prosseguir da sua viagem. Ela é acolhida por Ócrun, um rapaz religioso também, que tem uma relação íntima com a natureza e um ótimo coração. O que Cristine não sabe é que Ócrun é aquele que a cidade conhece como o terrível bruxo, que já matou sete crianças e um padre.

A história do amor proibido dos dois tem seus momentos ruins e também os momentos que te deixam suspirando, mas como o amor nunca é perfeito e fácil de lidar (principalmente sob essas circunstâncias), a história sofre reviravoltas terríveis e tem um fim bem inusitado.

O que não sabiam era da rebeldia do amor. Ninguém o controla. Quando tem que acontecer, acontece e não pede licença para ninguém.

O livro é bem rapidinho de ler, só possui dez capítulos. E eu li oito deles em parte de uma noite (é possível ler o livro inteiro numa tarde...). Como é a primeira edição, ainda possui alguns probleminhas com diagramação, mas nada que torne a leitura muito ruim.­­­

Para quem está em busca de histórias diferentes, leituras rápidas e autores brasileiros, fica aí uma dica de leitura.

Você pode ganhar um exemplar participando do sorteio aqui. Ou comprar o livro aqui.

Fiquem atentos que, em breve, teremos entrevista com a autora e novas resenhas de autores parceiros... :)

Beijinho e até mais.
http://www.livreando.com.br/search/label/Post%20da%20May

2 comentários

  1. Não conhecia, parece ser bem diferente, apesar de envolver um amor proibido.

    Fiquei interessada!!! o/

    Beijos, Thaysa Rocha.
    www.livrosqueinspiram.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Thaysa.

      É bem diferente mesmo... Compensa ler para conhecer a história e a autora ^^

      Beijinho,
      May.

      Excluir