Resenha: O Príncipe da Névoa

Oi geeente! Estou aqui de novo para a alegria ou tristeza de vocês, rs. Quem aqui acompanha o blog já deve ter visto que eu fiz uma resenha sobre o livro “Marina”, do Zafón. E, como eu disse lá, eu adoro os livros dele, e por esse motivo resolvi fazer outra resenha sobre, para tentar convencer vocês a lerem suas obras, rs.


O livro escolhido da vez foi: “O Príncipe da Névoa”.

Título Original: El principe de la niebla

Páginas: 184

Ano: 1993

Autor: Carlos Ruiz Zafón

Editora: Suma das Letras







Sinopse:

Em 1943, a família do jovem Max Carver muda para um vilarejo no litoral, por decisão do pai, um relojoeiro e inventor. Porém, a nova casa dos Carver está cercada de mistérios. Atrás do imóvel, Max descobre um jardim abandonado, contendo uma estranha estátua e símbolos desconhecidos. Os novos moradores se sentem cada vez mais ansiosos: a irmã de Max, Alicia, tem sonhos perturbadores, enquanto à outra irmã, Irina, ouve vozes que sussurram para ela de um velho armário. Com a ajuda de Roland, um novo amigo, Max também descobre os restos de um barco que afundou há muitos anos, numa terrível tempestade.
Enquanto os adolescentes exploram o naufrágio, investigam os mistérios e vivem um primeiro amor, um diabólico personagem surge na trama.


O enredo se passa na do ano de 1943, quando o pai de Max Carver resolve se mudar para uma casa na praia devido à guerra que estava acontecendo. Quando a mudança estava acontecendo e a família chegou à estação ferroviária da cidade, Max nota uma estranha coisa: o relógio da estação gira ao contrário.

Chegando à casa, Max começa a vasculhar para conhecer coisas novas, e descobre, então, um jardim de estatuas. Além desse, muitos outros mistérios começam a acontecer: sua irmã mais nova, Irina, ouve vozes saindo do ármario. Sua irmã mais velha, Alicia, tem sonhos perturbadores.
Indignado de não saber o motivo dessas coisas, Max começa a investigar para acabar de vez com a dúvida. Alicia e seu novo amigo, Roland, vivem juntos essa aventura a procura de uma resposta.

A história do livro me chamou bastante atenção, a leitura é agradável e é narrada em terceira pessoa. Eu tinha adorado o livro, tinha achado tudo muito lindo, até que um dia, em uma das minhas tentativas de fazer os meus amigos lerem as obras do Zafón, meu colega, cujo o livro eu havia emprestado, comentou que o livro não tem uma “história”. Por exemplo, nos livros do Harry Potter e do Percy  Jackson, acontecem coisas sobrenaturais, mas tudo tem uma explicação. Nesse livro isso não acontece, as coisas simplesmente existem, sem tem um porque. Creio que isso aconteceu por ter sido uma das primeiras (se não a primeira) obra dele.

Mas tirando esse fato, o livro é muito bom e eu indico para quem gosta de suspense.

Espero que tenham gostado, deixem suas opiniões nos comentários.

Beijos! (:

Um comentário

  1. Oi adorei.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir