Resenha: Uma Prova de Amor

Oi bookaholics lindos! Bom, não sei vocês, mas eu sou aquele tipo de pessoa que de repente cisma com um livro, compra e lê, assim do nada. Foi assim que aconteceu com o livro que vou resenhar hoje. Eu já tinha ouvido falar da Emily Giffin por aí, mas nunca tinha pensando em ler um livro dela, até que certo dia estava no site da Editora Novo Conceito e vi falando sobre Uma Prova de Amor e simplesmente coloquei em minha cabeça que eu tinha que ler esse livro. Então assim que pude, corri a livraria, o comprei e li. E bom, o que eu tenho a dizer é que adorei! Então, confiram na resenha o que tenho a dizer e quem sabe vocês não "cismam" com ele também, haha.


Título original: Baby Proof

Autor: Emily Giffin

Editora:
Novo Conceito

Ano: 2013

Páginas: 432

Avaliação:


Sinopse: Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois… os filhos. Não é assim? Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben. O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos? Uma Prova de Amor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor.



Em uma prova de amor nos deparamos com Claudia uma editora bem sucedida que tem algo de incomum: desde criança Claudia nunca quis ter filhos! E essa sua escolha sempre a atrapalhou no quesito relacionamentos, afinal, sempre que ela estava em um relacionamento sério e o tema filhos entrava em questão Claudia era clara e objetiva: ela não quer ter nenhum. Nunca quis. E com o passar do tempo ela foi percebendo que apenas homens que não queriam nada sério se interessavam por ela, afinal, homens que querem se casar querem constituir família, e ter filhos é algo que sempre estão em seus planos, mas Claudia não está disposta a mudar de ideia. E com isso o tempo vai passando cada vez mais, ela já está com 31 anos e quase desistindo de conseguir achar um homem que aceite sua objeção a maternidade quando ela conhece Ben.

 Ben é um arquiteto bem sucedido, lindo e simpático que assim como Claudia também não quer filhos. Logo que ambos descobrem essa vontade em comum descobrem que foram feitos um para o outro. Eles se apaixonam, começam a namorar, se casam e formam um casal super fofo que tem tudo para dar certo. Até seus melhores amigos Annie e Ray, resolvem ter um filho e algo muda entre eles. Um dos dois muda de ideia e então a história de amor dos dois vira de cabeça para baixo. E a pergunta que surge é: até onde um pessoa pode ceder em nome do amor?

À medida que você fica mais velho e mais cínico (...) você começa a perceber que nada é perfeito, que existem trocas e sacrifícios. O pior é quando alguém do seu passado atropela a pessoa que você é no presente, e você tem que refletir: se eu soubesse disso, talvez não o tivesse deixado ir embora. 

Ao longo da história acompanhamos o dilema de Claudia (o livro é narrado em primeira pessoa por ela) e também de suas irmãs e sua melhor que amiga e o interessante é que vamos nos identificando com elas, com suas histórias. Porque através destas personagens a autora aborda temas interessantes que estão no dia a dia das mulheres modernas. Maternidade, divórcio e traição estão entre eles. As personagens criadas por Giffin são mulheres comuns. Elas sofrem dilemas que as vezes você nunca sofreu, mas tem uma tia que vivenciou, ou uma amiga que passou por isso, ou uma prima distante que teve uma história parecida. E isso me agradou muito, adoro essa coisa de ver personagens comuns nos livros, pessoas que você poderia encontrar na rua, por exemplo.

Outra coisa que também adorei foi que Emily conseguiu transmitir para o leitor os sentimentos de sua personagem principal. Ao longo do livro eu me senti o tempo todo no lugar de Claudia, sofrendo, sorrindo e vivendo com ela. E essa ligação não acontece com qualquer personagem. Então, após ler esse livro pretendo ler outros da Emily e ver o que mais ela tem a me mostrar e é claro que o resultado dessas futuras leituras você confere aqui no blog!

Então vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado da resenha e que após lê-la tenham vontade de ler o livro que eu super recomendo, porque é realmente muito bom! Então beijinhos e até a próxima!

Nenhum comentário :

Postar um comentário