Ringue Literário: 50 Tons x Crossfire

Bom galera, hoje nós vamos estrear aqui no blog o Ringue Literário, que consiste basicamente em uma disputa entres dois livros ou séries, que tem características parecidas e que normalmente são comparados pelos leitores. Hoje, para começar, trouxe pra vocês duas séries do gênero New Adult que têm dado muito o que falar ultimamente: 50 Tons e Crossfire.




Dados Gerais das séries:


Primeiro livro da série.


Série: 50 tons

Autora: E. L. James

Editora: Intrínseca





   
Primeiro livro da série.



Série:
 Crossfire

Autora: Sylvia Day

Editora: Paralela






Round 1: Capas

 



Na categoria capas devo dizer que é complicado comparar, já que ambas as capas são lindas! Mas eu gosto de capas de séries que sigam um padrão, acredito que as capas devem ser parecidas umas com as outras, você deve olhar pra capa e já saber que pertence aquela série, e nesse quesito 50 tons arrasa! Além de brincar com essa coisa do título e a capa ser toda em tons de cinza, elas são lindas. Esta questão monocromática é um charme. Mesmo que capas coloridas sejam lindas, e a capas da trilogia Crossfire também sejam belíssimas, não existe muita concordância entre as capas na minha opinião. Não que elas sejam totalmente diferentes, mas, faltam um elemento que as deixe mais parecidas. Logo, nesta categoria, 50 tons ganha!

50 tons 1 x 0 Crossfire


Round 2: Narrativa

 

Bom, a narrativa é realmente um assunto complicado nessas duas trilogias, ambas são narradas em primeira pessoa. em 50 tons, quem narra é Anastasia Steele, e o que incomoda muito na narrativa dela é a insegurança. Anastasia lembra muito o estilo Bella Swan, sim aquela de crepúsculo, o que não é uma mera coincidência uma vez que 50 tons era uma fanfic de Crepúsculo, mas cá entre nós, E. L. James poderia ter melhorado a autoconfiança da garota, porque leitor nenhum tem paciência com uma personagem insegura, incomoda bastante e acaba deixando até mesmo leitor meio pra baixo, além de ser uma chatice sem fim, porque Anastasia nos enche com suas intermináveis lamentações.

Já em Crossfire quem narra é Eva Tramell, um personagem bem mais segura de si, uma mulher forte e segura, mesmo que em alguns momentos caia nos clichês de "a ex dele é mais bonita que eu", ele se aceita como uma mulher bonita e determinada, o que torna mais fácil a leitura. Só que a narrativa de Eva, as vezes deixa a desejar, em determinados momentos falta história, principalmente no 3º livro, quando Eva fica só remoendo a mesma coisa, sem aparecer nada novo, aquela repetição cansa e faz com que a leitura não flua. 

Outro fato que também deve ser levado em conta é que a história James é bem descritiva, toda cheia de detalhes. Já na história de Day, não são dados muitos detalhes, a autora não se prende tanto a isso. Pra quem gosta de livros bens descritivos, 50  tons é uma melhor pedida. E por último nesse quesito, sendo ambos os livros hots, não posso deixar de falar de como são descritas as cenas de sexo. Em Crossfire as cenas são muito repetitivas, é como se a autora tivesse apenas usado ctrl C e ctrl V, falta coisas novas, o leitor perde a paciência nessas cenas, eu mesma, em certo ponto, comecei a pular essas partes por serem todas iguais. Já em 50 tons ocorrem as repetições, mas, com menos frequência. E. L. James com toda a sua trama BDSM, traz elementos inovadores, não deixando as cenas hot serem tão repetitivas. Mas nessas cenas ambas deixam muito a desejar. Falta algo que estimule o leitor, pelo menos na minha opinião.
Mas como tenho que escolher um vencedor nesse quesito, fico mais uma vez com 50 tons, porque a leitura flui melhor.

50 tons 2x0 Crossfire

Round 3: Personagens

 

No aspecto personagens, vou focar apenas nos dois protagonistas de cada trilogia. Em 50 tons temos Anastasia, que como já descrevi no round anterior é uma personagem insegura e meio sem graça, quem traz toda a graça da história é Christian Grey, um personagem dominar e sedutor. Eu me apaixonei por Grey, mas não consegui me apegar a Anastasia, ela é Bella Swan demais para meu gosto. Já em Crossfire Eva é segura, Gideon não é tão apaixonante quanto Grey, mas possui aquela masculinidade que mexe com o leitor. E ambos os personagens tem sua história, ambos tem traumas da infância, o que torna os personagens mais interessantes. A construção dos personagens de Day é muito mais consistente. Então no quesito personagens, não dá pra 50 tons, quem ganha é Crossfire!

50 tons 2x1 Crossfire

Então, o campeão do primeiro Ringue Literário foi 50 tons! Aeee \o/


Bom gente, foi isso, tentei resumir ao máximo pra não ficar cansativo e fazer em apenas 3 Rounds. Se você já leu algum livro dessas trilogias ou pretende ler, deixe seu comentário. Deixando bem claro que tudo que foi dito foi apenas minha opinião então se você concorda o discorda não deixe de nos falar, e não se esqueça de deixar a sua sugestão pra ringues literários futuros. Me desculpem qualquer erro, como esse é o primeiro, pretendemos aperfeiçoar com o tempo. Então é isso, galera. Espero que tenham gostado!




3 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Carol!
    Eu tbm prefiro 50 tons. Quando li essa série, me encantei logo no primeiro livro, o que não aconteceu com Crossfire... não seri explicar, mas alguma coisa ali não me agradou. Não gosto do nome do protagonista (Gideon), e acho a relação dele com Eva muito confusa, apesar dela ser bem mais esperta e decidida que Anastasia. Li os três livros da Sylvia Day, mais por curiosidade do q por gosto, e continuo não sendo muito fã da série.

    Bjos!

    http://seiqueeusei.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir