Resenha: Como Viver Eternamente


Título original: Ways to live forever
Autora: Sally Nicholls
Editora: Geração Editorial
Páginas: 226
Ano: 2009


Sinopse: Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.

Numa manhã qualquer, eu estava zapeando pelo Google+ (vendo publicações sobre livros, só para variar um pouco, rs) e encontrei um post falando sobre o livro “Como viver eternamente”. Não falava muito. Na verdade, a única informação era “Acabei de ler Como Viver Eternamente – Sally Nicholls” seguido de uma imagem da capa do livro.

Olhei a capa e o título. Por um momento fiquei curiosa a respeito e arrisquei um “E é um livro bom? Fala sobre o que?” no comentário. Aguardei a resposta, que veio simples também, mas com um fato que me atraiu e me fez correr imediatamente atrás de um exemplar... Enfim. Vamos ao que realmente interessa!

Sam é apenas mais um garoto de 11 anos, com alguns sonhos e vontades, que vão de bater um record a beijar uma garota ou, quem sabe, ver o planeta lá do espaço. Tem uma irmã mais nova e um melhor amigo. A sua história é comum, exceto pelo fato de que foi diagnosticado com leucemia.

Lista nº 1 - CINCO FATOS A MEU RESPEITO
1. Meu nome é Sam.
2. Tenho onze anos.
3. Coleciono histórias e fatos fantásticos.
4. Tenho leucemia.
5. Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto.

Sam tem aulas particulares junto com um garoto que conheceu no hospital (e, consequentemente, é seu melhor amigo), Felix. Estimulados pela professora, a Sra. Willis, os dois começam a escrever uma “coisa a respeito deles mesmo”. Sam leva isto bem a sério e o resultado é o livro que temos em mãos.

Este é meu livro, iniciado em 7 de janeiro e terminado em 12 de abril. É uma coletânea de listas, histórias, fotos, perguntas e fatos. É também a minha história.

Sally Nicholls nos faz imergir num universo diferente, numa amizade entre dois garotos no auge de sua pré-adolescência. E, apesar de todo o contexto pesado por conta da doença, os assuntos são tratados com uma leveza admirável e, ao mesmo tempo, somos levados a refletir sobre questões da vida, da existência e da importância que damos às coisas.

A leitura é bem rápida e flui naturalmente devido aos capítulos curtos e a estrutura muito boa. É fácil rir com Sam. Mas também é fácil refletir com as perguntas que ele faz. E é mais fácil ainda se entristecer quando ele fala em morte.

“Como viver eternamente” não contém as instruções claras do que o título sugere, mas as entrelinhas te ensinam como fazer isso. Não vivendo para sempre literalmente. Mas te ensinando que é possível fazer o seu viver “eterno”. É o tipo de leitura que te torna diferente, te torna mais humano... e te faz, no mínimo, sentir seus olhos lacrimejarem no fim.

Para concluir, preciso dizer terminei o livro com lágrimas nos olhos. Mas, junto com as lágrimas teimosas querendo cair, senti um sorriso se formar nos meus lábios... porque Sam deixou um pedaço dele em mim.

Enfim... não consegui falar muito sobre o livro, mas é uma história que vale à pena pela leveza, pela maturidade e pela singeleza que ela carrega.





2 comentários

  1. Parece bem legal, adorei a resenha!
    http://pantera-selvagem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^
      Se tiver oportunidade, leia. É uma leitura rápida e agradável :)

      Beijinho,
      May.

      Excluir