Juntas, porém separadas - "Fala sério, mãe"

Olá, pessoal. Aqui é a May. Hoje vamos estrear a categoria “Juntas, porém separadas”, que nada mais é do que duas pessoas lerem o mesmo livro ao mesmo tempo (mas separadas, porque estamos beeeeem longe em km uma das outras) e depois exporem suas opiniões aqui. A intenção é mostrar ao leitor do blog mais de um ponto de vista da mesma história (que podem ser semelhantes ou não) e, por fim, mostrar uma análise resumida dos pontos positivos e negativos da história de acordo com as duas opiniões. E, para começar, teremos o livro “Fala sério, mãe” da Thalita Rebouças.



Sinopse: Mãe e filha. Que relação complicada essa! Amor, carinho, compreensão e, claro, muitas, muitas brigas. Brigas importantes, brigas bobas, brigas memoráveis. Só variam conforme a idade. Boletim, namorados, arrumação do quarto, legumes, viagens, festas, hora de chegar das festas... tudo é motivo para essas pelejas domésticas. Para Angela Cristina, elas são apenas carinho e preocupação. Para Maria de Lourdes, são chateação materna mesmo. Na primeira metade do livro, os textos mostram o ponto de vista da mãe. Mas depois do primeiro beijo, aos 12 anos, é Maria de Lourdes (ou Malu, como ela prefere) quem assume a narrativa. Fala sério, mãe! é uma coletânea de crônicas bem-humoradas do cotidiano dessas duas personagens, que pode ser lida aleatoriamente ou como um romance em pílulas, em ordem cronológica, da barriga aos 21 anos.


Após ter combinado com a Carol de lermos juntas e, quem sabe, estrear a categoria “Juntas, porém separadas”, peguei o livro “Fala sério, mãe!” da Thalita Rebouças para ler. Há muito tempo eu tinha vontade de ler algum livro dela, só ainda não tinha surgido a oportunidade. Bom, mas vamos ao que interessa (ou nem tanto): a minha opinião. A princípio, confesso que o livro me pareceu meio chatinho. Eu não estava compreendendo muito bem o sentido dele, Malu me parecia (como até cheguei a comentar com a Carol) ter atitudes inadequadas para sua idade. Mas continuei lendo. Insisti, torcendo para a história tomar um rumo legal. E então, quando Malu completou 13 anos (e passou a narrar a história no lugar de sua mãe), finalmente aconteceu. A partir dos 13 anos de Malu, a leitura discorreu com mais naturalidade e descontração. Basicamente, a história narra as experiências de uma garota desde o nascimento até os 21 anos... E, bem, é possível se identificar com o livro em vários momentos, se você é ou já foi adolescente um dia. A leitura é boa para quem está a fim de um livro curto para passar o tempo.

Avaliação:
 
  










Eu sou fã da Thalita Rebouças há bastante tempo, desde a época que ela escrevia uma coluna na revista Atrevida. Eu adorava as crônicas dela, e fiquei chateada quando ela saiu da revista para se dedicar a vida de escritora. Mas acabou que depois que ela saiu da revista nunca surgiu a oportunidade de ler um livro dela, até que numa quarta-feira à noite a May me propôs lermos juntas, porém separadas, um livro da Thalita. E eu topei.
Então, bora falar do livro? Em "Fala sério, mãe" Thalita Rebouças relata situações cotidianas de duas personagens totalmente comuns: Ângela (uma mãe super protetora e careta) e Maria de Lourdes (uma filha que briga com a mãe do começo ao fim da história). No início quem narra é a mãe. A narrativa é um pouco maçante neste período, o que desanima um pouco o leitor. Mas quando Maria de Lourdes completa 13 aninhos ela passa a narrar, o que melhora bastante. O livro na verdade é um agrupamento de crônicas que narram apenas os conflitos entre mãe e filha, abordando temas comuns como primeiro beijo, primeira vez e divórcio dos pais. O livro não tem uma história impressionante nem nada demais que prenda o leitor, é um livro “basiquinho”, como se fosse uma crônica de mais de 100 páginas. É recomendado pra quem quer uma história leve, rápida e engraçada para passar o tempo.


Avaliação:

 








Conclusão

Aspectos Positivos:

• O livro é curto, o que permite leitura rápida;
• Como são várias crônicas independentes, você pode optar por ler aleatoriamente, sem se perder na história;
• A linguagem é simples;
• A história é engraçada;
• Você consegue se identificar com a personagem.

Aspectos Negativos:

• Linguagem um pouco repetitiva;
• A narração é um pouco maçante em alguns momentos;
• Falta um acontecimento marcante;
• A personagem principal tem algumas atitudes que não condizem com a sua idade.


Enfim, este foi o nosso primeiro "Juntas, porém separadas". Espero que tenham gostado. E... alguém aí já leu o livro? Coloque sua opinião também. Será muito bem-vinda!!! ^^

Nenhum comentário :

Postar um comentário