Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista

Oi Gente!

Bom, eu sou a Carol, e finalmente estou fazendo minha primeira aparição no Blog. Eba! Bom, e pra começar com chave de ouro vou falar de um livro que, com o tempo vocês perceberão, é o tipo de livro que eu amo, um romance super fofo: a probabilidade estatística do amor à primeira vista.


Título original: The Statistical Probability of Love at first Sight

Autora: Jennifer E. Smith

Editora: Galera

Ano: 2013

Páginas: 223



Sinopse: Com uma certa atmosfera de "Um dia", mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.



Bom, minha história com esse livro é meio engraçada, afinal eu me apaixonei por esse livro à primeira vista, quando vi essa capa toda fofa e linda pensei "eu preciso ler esse livro", e assumo que pela primeira vez eu li o livro pela capa, porque afinal, um livro com um capa tão fofa não pode ser ruim. Ou pode? Então na primeira oportunidade que tive fui a uma livraria e comprei o livro. Cheguei em casa e queria lê-lo imediatamente. E, bom, vamos a resenha da história.

Hadley Sullivan é uma adolescente de 17 anos que se vê obrigada a ir ao casamento do pai, casamento esse que para ela simboliza definitivamente o fim de sua família. Afinal, seu pai e sua mãe deveriam ficar juntos para sempre, não é? Mas infelizmente seu pai vai morar na Inglaterra a trabalho e conhece Charlotte, uma britânica que, mesmo sem conhecer, Hadley já odeia. E é indo para este casamento que tudo dá errado - ou pelo menos Hadley pensou que daria tudo errado. Por 4 minutos - sim 4 minutos - Hadley perde e seu voo, e se vê obrigada a esperar o próximo. Mas é nessa espera que acontece a reviravolta. Quem imaginaria que ali ela conheceria Oliver um britânico lindo, fofo e - pasmem - educado. Ele se oferece para cuidar da mala dela, e alguma coisa acontece entre os dois, e será que foi amor à primeira vista? Qual a probabilidade disto ter acontecido?

Os dois então resolvem comer algo juntos, conversar. E descobrem que, num golpe de sorte,fatalidade ou ironia do destino, vão sentar em assentos vizinhos no avião. Durante toda a viagem os dois vão só se aproximando mais, Oliver ajuda Hadley a ignorar sua claustrofobia, e a menina abre o coração para ele, e um certo clima começa a surgir. Durante o voo eles conversam sobre tudo e percebem o quanto o tempo é relativo. Só que quando o avião pousa em Londres, cada um seguirá seu caminho. E qual é a probabilidade de se encontrarem de novo?

Hadley coloca a testa no vidro do táxi e se pega sorrindo por causa dele de novo. Oliver é como uma música que ela não consegue esquecer. Por mais que tente, a melodia do encontro entre os dois fica tocando na cabeça repetidamente, cada vez mais agradável, como uma canção de ninar, como um hino; não tem como ficar cansada daquilo.

O livro é realmente um romance fofo para corações românticos e apaixonados. Leve, sutil e fofo. É impossível não amar Oliver com todo seu charme britânico. E - se você foi adolescente um dia - é impossível não se identificar com Hadley. O livro todo acontece em 24 horas. Um leitura fácil e leve para as horas vagas.

A história em alguns momentos deixa um pouco a desejar, caindo em muitos clichês. Sinceramente não sei se pelo nome, pelas resenhas que li, ou pela capa fofinha, mas eu esperava mais do livro. Não que eu não tenha gostado, mas ele fica um pouco a baixo das expectativas. Mas mesmo com tudo isso eu super indico o livro pra quem que, assim como eu, ama romances adolescentes.

E se? Três letrinhas com o peso das decisões. E se você pegar o metrô e não o ônibus? Sorrir para um estranho ou baixar o rosto? E se Hadley tivesse saído de casa mais cedo? Quatro minutos. Duzentos e quarenta segundos. Por conta desse pequeno imprevisto cronológico, ela perde o voo. Mas encontra seu destino. Quem pode dizer que isso não faz parte de algum plano cósmico?

É o que diz a orelha da versão brasileira do livro, e nos leva a refletir sobre o quanto pequenas coisas podem mudar toda nossa vida, 4 minutos mudaram a vida da Hadley. Quantos seriam necessários para mudar a sua?

Bom galerinha, esta foi minha primeira resenha, espero que tenham gostado. Se puderem a compartilhar ficarei grata. Em breve quero postar muito mais. Quem quiser sugerir livros para ler e resenhar, e tiver dúvidas é só comentar. Obrigada por ter lido, e até mais!




2 comentários

  1. OMG!
    vou ter que ler esse livro já me apaixonei por ele kkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Leia Tamares, ele é muito bom tenho certeza de que você vai amar.

    ResponderExcluir